Oficina de introdução à fotografia digital reúne grupo diversificado de holambrenses

Foram realizados nesta sexta-feira e sábado os dois primeiros encontros da Oficina de Introdução à Fotografia Digital realizada por meio de parceria entre a Prefeitura, a Secretaria de Cultura do Governo do Estado e a Poiesis Organização Social de Cultura. A atividade aconteceu na Biblioteca Municipal e reuniu pessoas de diversas idades, profissões e com objetivos diferentes.

Durante a primeira metade da oficina os participantes aprenderam sobre história da fotografia, fundamentos básicos para a construção da leitura visual, equipamentos e técnicas. Eles puderam também começar a praticar o que foi aprendido na teoria.

Vitória Aparecida Janini levou o celular para os trabalhos de sábado. Ela pretende ser fotógrafa, mas não tinha ideia de que o campo de atuação é bem abrangente. A garota, de 17 anos, também se surpreendeu com a quantidade de coisas novas que aprendeu. “Diafragma, luz, ISO, foco. Eu não sabia muito. No celular tem o ISO e eu não usava”, conta.

Gabriel Expedito da Silva também quer trabalhar como fotógrafo, mas já tem conhecimento na área. Ele concluiu no primeiro semestre um curso superior de Tecnologia em Fotografia, só que até agora atuou pouco no setor. O jovem viu na oficina a oportunidade de dar mais um passo na direção do objetivo profissional. “É importante relembrar e ver coisas novas. Além disso, tem a questão do contato com alguém profissional da área”, explicou. “Eu tô tentando me inserir no mercado, vim tirar dúvidas sobre isso, sobre a qualidade das minhas fotos”.

Foi com o objetivo de aprender algumas técnicas para fotografar a família que a analista financeira Natalia Santos ingressou na oficina. Ela sempre teve interesse em fazer um curso e quando soube da iniciativa gratuita foi logo fazer a inscrição. “Quando eu vi nas redes sociais eu corri para me inscrever. São caros os cursos de fotografia, mesmo para iniciantes”, disse. “Eu espero poder fazer fotos mais legais, sem ‘tremedeira’, sem fundo feio, com a luz legal. Saber manipular minha máquina”, contou.

Quem também não hesitou em fazer a inscrição foi o economista aposentado Francisco Sales Pimentel de Almeida. Natural de Belém do Pará, veio morar em Holambra há dois anos. Ele gosta muito de viajar pelo mundo e costuma retratar esses momentos especiais. Tanto que até perdeu as contas de quantas imagens tem guardadas. Mas os registros sempre foram feitos de forma amadora. “Quantas fotografias boas eu poderia ter tirado bem melhor, não é? Eu aprendi coisa que eu não imaginava que seria tão importante para tirar uma fotografia mais alinhada”, avaliou.

Para o prefeito Fernando Fiori de Godoy, cursos como esse, com profissionais experientes e qualificados, são importantes para oferecer aos moradores novas oportunidades de aprendizado, de trabalho e de geração de renda. “Trabalhamos forte para proporcionar acesso a atividades que preparem os holambrenses profissionalmente. Iniciativas como essa podem transformar a vida das pessoas”, destaca.

A oficina é ministrada por Bruna Grassi. Além de ser graduada em Comunicação das Artes do Corpo pela PUC/SP, mestre em Comunicação e Jornalismo, especialista em Teorias da Imagem e Doutoranda em Ciências da Comunicação pela Universidade de Coimbra, em Portugal, a profissional estuda e desenvolve trabalhos fotográficos em diversas áreas e possui obras premiadas e expostas em diversos países como Inglaterra, França e Itália.

Para ela é uma experiência muito enriquecedora trabalhar com um grupo tão heterogêneo. “Pessoalmente eu acho maravilhoso, um desafio. Como educadora é um paraíso”, contou. “Diversidade vem agregar. Faz com que a gente saia da nossa zona de conforto, faz com que a gente reflita e como artista me mostra um leque de criatividade muito grande”.

Os próximos encontros serão realizados nos dias 17 e 18 de novembro. Em 2 de dezembro está prevista uma exposição fotográfica para apresentar o material produzido pelos alunos durante o curso.

Matéria: ASCOM

  

Comentários