PREFEITURA AUTORIZA ATUAÇÃO DE FEIRANTES NÃO LIGADOS AO RAMO DE ALIMENTAÇÃO

A Prefeitura de Mogi Guaçu autorizou o trabalho dos feirantes que vendem itens não ligados ao ramo de alimentação e que estavam proibidos de comercializar nas feiras livres da cidade.

Em respeito ao Plano São Paulo e a todas as medidas restritivas de prevenção ao coronavírus, as feiras livres da cidade seguem os mesmos protocolos adotados pelo comércio local no tocante ao funcionamento.

Além dos setores de hortifrútis e de alimentos, estão autorizados a funcionar as barracas de vestuários e outros itens não ligados ao setor de alimentação. A novidade é que a principal feira de Mogi Guaçu, realizada aos domingos no Parque Cidade Nova, reserva um novo espaço para os 88 feirantes do setor de vestuário e de itens não ligados à alimentação.

Essas barracas estão autorizadas a funcionar na Avenida Júlio Xavier da Silva, do trecho entre a rotatória da Avenida dos Bandeirantes e o cruzamento da Rua Lotário Teixeira, em um local sem residências.

Os 107 feirantes ligados aos setores de hortifrúti e de outros gêneros alimentícios permanecerão nas ruas José de Souza Godoy e Emília Zanetti de Almeida. Já as 52 barracas da feira popular estarão localizadas na Rua Lotário Teixeira.

A liberação do funcionamento dos setores não ligados ao ramo alimentícios se estende a todas as feiras livres, realizadas às terças-feiras no Jardim Fantinato, às quartas no Zaniboni II e Jardim Selma, às quintas no Ypê II, às sextas na Vila Paraíso, aos sábados no Zaniboni III, Jardim Boa Esperança e Centenário, e aos domingos no Parque Cidade Nova.

  

Comentários