Prefeitura leva aulas de Viola Caipira a alunos da Educação Integral

Cerca de 80 alunos da rede municipal que participam do Programa de Educação Integral estão tendo a oportunidade de aprender a tocar viola caipira fora do período regular de aulas. A iniciativa quer contribuir com o desenvolvimento das crianças, despertar a veia musical e resgatar as raízes culturais da cidade.

As aulas, que começaram no início deste ano, são realizadas uma vez por semana nas dependências da escola municipal Jardim Flamboyant. Os estudantes têm entre 8 e 11 anos. O professor é o maestro da Orquestra de Viola Caipira de Holambra, Cristiano Scuciatto.

“A criança aprende com mais facilidade, não esquece. A música desenvolve a coordenação motora, o raciocínio lógico. Ela é matemática pura. É matemática aplicada. Tem ainda a questão social, um precisa tocar em harmonia com o outro”, explicou.

A estudante Heloísa Andressa dos Santos tem 10 anos. Ela frequenta as aulas e sempre teve o sonho de aprender a tocar o instrumento. A menina quer se apresentar na televisão com a música ‘Asa Branca’.

“Meu tio sempre cantava essa música para mim e dizia que quando eu crescesse queria me ver na TV. Ele faleceu, mas lá do céu está me olhando. Vou fazer isso por ele”, contou.

Apesar de ainda não ter o instrumento, a garota encontrou uma maneira de ensaiar em casa. “Eu treino aqui na escola, olho bem as notas, quando chego em casa, coloco no meu caderno”, explicou. “Aí eu treino em casa sozinha, com a mão mesmo. Eu amo tocar viola, ela já me conquistou”.

Arthur Macedo Montejano também é aluno do professor Cristiano. O menino, também de 10 anos, conta que de vez em quando a família se reúne para cantar e tocar. O tio-avô dele é compositor. “Eu conheço uma música dele, mas ele já compôs várias”, contou. “É legal tocar viola, eu me sinto elegante cantando”. A iniciativa é uma parceria dos departamentos de Turismo e Cultura e de Educação.

“Nossa ideia é despertar a música nas crianças, fazer com que elas desfrutem de momentos de aprendizado e integração”, explicou a diretora do departamento de Turismo e Cultura, Alessandra Caratti. “Por meio dessa iniciativa queremos incentivá-las a participar da nossa orquestra de viola caipira. Esse orgulho da nossa cidade precisa estar em constante movimento. Por isso decidimos levar o maestro para a escola”.

Para o diretor de Educação, Amarildo Boer, muitos imaginam que a viola é um instrumento limitado a um único perfil – e as aulas permitem aos estudantes aprender e mostrar a versatilidade do instrumento. “A música demanda disciplina, atenção, dedicação e estudo. São características que contribuem muito e diretamente na rotina escolar das crianças”.

Matéria: ASCOM

 

  

Comentários