fbpx

Projeto de jornal de bairro será apresentado na ONU

O projeto de extensão “Jornal Jardim Carolina – uma experiência comunitária e cidadã”, desenvolvido em Artur Nogueira, foi escolhido entre os 30 projetos sociais mais relevantes no mundo para ser apresentado no Social Innovation and Global Ethics Forum (SIGEF 2014), que ocorrerá na sede da ONU em Genebra entre os dias 22 e 24 de outubro. O projeto é uma iniciativa da Agência Brasileira de Jornalismo (ABJ), ligada ao curso de Jornalismo do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus Engenheiro Coelho.

 Apresentação do projeto será em Genebra entre 22 e 24 de outubro no fórum de soluções para desafios da humanidade

Apresentação do projeto será em Genebra entre 22 e 24 de outubro no fórum de soluções para desafios da humanidade

O jornal é feito em conjunto com movimentos populares do bairro, entre eles a associação de moradores. “É mais um reconhecimento ao trabalho sério desenvolvido por nossos estudantes e professores de Jornalismo”, comemorou o coordenador do projeto, professor Luis Fernando Assunção.

O projeto Jardim Carolina existe há três anos e consiste na publicação de um jornal impresso mensal de 12 páginas onde são mostradas reportagens sobre o dia a dia da comunidade, um bairro da periferia da cidade de Artur Nogueira. Entre as ações do projeto, além do jornal, há a realização de oficinas de jornalismo impresso, vídeo-documentário, fotografia, e iniciativas de conscientização da população em relação à prevenção e saúde. O público atingido chega a quatro mil pessoas. “O projeto busca retratar o cotidiano e também as demandas da população com um enfoque cidadão, além de gerar uma visão crítica da conjuntura local a partir da leitura do jornal”, completou o professor Assunção.

O projeto está inserido no projeto pedagógico do curso de Jornalismo. “Além de reforçar os vínculos identitários com a comunidade, o jornal comunitário valoriza a interdisciplinaridade, que tem sido uma realidade e um desafio no ensino superior caracterizando uma nova abordagem científica, cultural e epistemológica”, explicou Assunção. O projeto pretende representar uma visão inovadora da ciência e da tecnologia, superando os posicionamentos e as estruturas tradicionais, que agrega valor e qualidade à pessoa e ao trabalho ou função por ela realizada, deixando claro a vinculação existente entre interdisciplinaridade e inovação.

Entre os resultados concretos do projeto, desde a sua criação, destaca-se especialmente a valorização do bairro e das pessoas pelo segmento social de Artur Nogueira. O bairro frequentemente era mostrado em sites de notícias e jornais quando acontecia algum crime, alguma prisão ou relação com o tráfico de drogas na cidade. A partir da concepção do jornal comunitário, aos poucos foram constatadas mudanças não apenas no olhar da mídia em relação ao bairro, mas na própria auto-estima dos moradores. “A mídia percebeu que a comunidade estava organizada, que mantinha projetos importantes e que, afinal, era parte importante no desenvolvimento da cidade”, acrescentou Assunção.

O evento mundial em que o projeto será mostrado combina uma série de sessões interativas e mostra de projetos que mostram a diversidade cultural global dos participantes. Organizações não-governamentais, estudantes, promotores de projetos socialmente inovadores e artistas de origens diversas se reunirão em um esforço para propor soluções para alguns dos maiores desafios da humanidade. As sessões plenárias abordarão temas como Cidades do Futuro, Comunicação Social Orientada para a interação global e modelos de negócios inovadores. Os dois projetos socialmente inovadores mais votados serão premiados. O evento é organizado pela Horyou, uma rede social orientada para o bem social e de atuação global.

  

Comentários