PROJETOS DE ESCOLAS MUNICIPAIS DE JAGUARIÚNA SÃO FINALISTAS EM COMPETIÇÃO NACIONAL

Dois projetos desenvolvidos em duas escolas municipais de Jaguariúna foram selecionados e estão entre os 30 melhores na disputa do “Desafio Aprendizagem Criativa Brasil”. Jaguariúna é a primeira cidade a concorrer com dois projetos diferentes desenvolvidos por duas escolas municipais, desde a criação do desafio, em 2015.

Organizado pela Fundação Lemann, MIT Media Laboratorial e pela Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa, a competição nacional chega a 5ª Edição este ano buscando incentivar E engajar estudantes de todo o Brasil a desenvolverem uma atividadeA envolvendo tecnologia e criatividade.

O projeto desenvolvido com os estudantes do 4º ano B, do ensino fundamental I, da Escola Municipal Mario Bergamasco, recebeu o nome “Alimentando mentes criativas”. As aulas são dadas pela professora Luciene Mára de Lima e pela monitora Inaiara da Silva Santos, com o apoio dos gestores da unidade.

Na Escola Municipal Sada Salomão Hossri, os alunos do 6º ano do ensino fundamental II participam do projeto “Reinventando a matemática no mundo da robótica” desenvolvido pelos professores: Luciene Mára de Lima e Luis Fernando Ridi, junto com a monitora da escola Inaiara da Silva Santos, também com o apoio dos gestores da unidade.

Pelo bom resultado no “Desafio Aprendizagem Criativa Brasil”, as escolas municipais de Jaguariúna já ganharam uma bolsa de estudos de um curso online. Agora os estudantes vão poder aprender, por exemplo, programação de jogos, impressão 3D e robótica.

“O objetivo do projeto desenvolvido nas duas escolas é desenvolver o raciocínio lógico, a criatividade, conteúdos matemáticos e linguagem de programação. Tudo isso é importante porque com esse aprendizado podem nascer futuros profissionais da programação”, professora Luciene Mára de Lima.

No próximo dia 25, haverá uma nova seleção entre os 30 projetos que estão na fase final da competição. Os sete melhores receberão R$ 10 mil para desenvolver o projeto e uma bolsa para fazer um curso em Massachusetts, nos EUA, em julho.

A estudante Anna Eloá Zanquetin de Almeida, 9 anos, está animada com o que está aprendendo a produzir. “Cada vez que a gente desenvolve um novo jogo, outras crianças podem aprender com ele e deixam de ficar só brincando”, disse Anna Eloá.

A secretaria municipal de educação, Cristina Catão, lembra que Os projetos envolvendo tecnologia vem sendo incentivados em todas as escolas municipais desde 2017. “Esses projetos são motivo de orgulho. Neste ano, várias escolas da rede participarão de aulas de robótica no período contraturno”, explicou a secretaria.

A lista dos projetos finalistas pode ser conferida no site: www.desafioaprendizagemcriativa.com/resultado

Reportagem e foto: Lícia Mangiavacchi

  

Comentários