fbpx

Público celebra resgate cultural e de tradições promovido pela festa do Dia do Rei

Holandeses, descendentes e brasileiros se reuniram em frente ao Moinho Povos Unidos no último domingo, dia 24 de abril, para celebrar a festividade do Dia do Rei – o mais holandês dos eventos realizados pela Prefeitura na maior colônia de imigrantes do país. Café e bolo à vontade, danças típicas, apresentações de viola, gaita e o inconfundível som de percussão e tamancos da Fanfarra Amigos de Holambra brindaram a data comemorativa e encheram os olhos das mais de 1,5 mil pessoas presentes.

A comemoração, que na Holanda dura a semana inteira e atrai milhares turistas de diversos lugares do mundo, segue em Holambra a tradição e os costumes da terra natal, mantendo viva a cultura holandesa e mobilizando as famílias e as novas gerações.

Wilhelmus Eltink, o mais velho de nove irmãos, mora na cidade há cerca de 60 anos. Ele comenta que sua família toda sempre participa das festividades típicas proporcionadas pela Prefeitura. “É importante que as raízes da Holanda continuem sendo plantadas no coração dos mais jovens. Não sinto falta de nada na cidade, tudo é bem representado e somos muito gratos por poder compartilhar da nossa cultura aqui no Brasil”, conta.

Em sua quarta edição consecutiva desde que passou a integrar o calendário oficial de eventos da cidade, o Dia do Rei reuniu, além do prefeito Fernando Fiori de Godoy e vereadores, o secretário estadual de Turismo, Beto Tricoli, o deputado estadual Chico Sardelli e o cônsul geral dos Países Baixos em São Paulo, Cor van Honk.

Para Dr. Fernando, a festa é um importante momento de resgate da história, da cultura e das tradições dos pioneiros. “Essas características foram e continuam sendo fundamentais para o desenvolvimento da cidade próspera e diferenciada em que vivemos hoje”, disse. “O Dia do Rei proporciona a cada um de nós a oportunidade de comemorar a união. O trabalho conjunto e irmanado entre brasileiros e holandeses que, lado a lado, transformaram uma antiga fazenda em uma das mais belas estâncias turísticas do Brasil”.

Para Joanna Maria Van Mierlo, filha de imigrantes e moradora de Holambra há mais de 20 anos, manter as raízes vivas para as futuras gerações é trazer para o Brasil um pedaço do passado e das origens holandesas. “Eu me sinto realizada em poder participar destas festas e trazer para meus filhos uma bagagem cultural que eles poderão passar adiante”, disse.

Hendrikus Reijers, que chegou ao Brasil na década de 1930 e é um dos pioneiros mais antigos da cidade, conta que a cultura holandesa é bem representada na cidade. “Eu acho que é muito difícil se adaptar a outras culturas, mas a cidade de Holambra consegue trazer um equilíbrio bonito entre Brasil e Holanda”, sintetiza.

  

Comentários