Ranking coloca Jaguariúna entre as melhores do País em saneamento básico

A cidade de Jaguariúna subiu 63 posições no Ranking ABES da Universalização do Saneamento, realizado anualmente pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES). Na edição 2020 do estudo, divulgada neste mês, Jaguariúna aparece na 37ª colocação dentre as cidades de pequeno e médio portes na categoria “compromisso com a universalização do saneamento básico” – em 2019, o município ocupava a 100ª posição na mesma categoria.

Segundo o levantamento da ABES, o salto de Jaguariúna no ranking foi possível graças à melhora considerável nos indicadores de abastecimento de água e tratamento de esgoto da cidade, que passaram de 93,90 pontos em 2019 para 97,11, em 2020, e de 83,64 (2019) para 95,44 (2020), respectivamente.

Nos outros três quesitos avaliados – coleta de esgoto, coleta de resíduos sólidos e destinação adequada –, Jaguariúna também manteve índices elevados de pontuação (acima de 90).

“O resultado desse trabalho são os grandes investimentos que estamos fazendo nos últimos dois anos e meio. Inauguramos mais uma estação de tratamento de esgoto, o que melhorou nosso índice de coleta, afastamento e tratamento”, disse a secretária de Meio Ambiente de Jaguariúna, Luciana Souza.

“Também aumentamos nosso tratamento de água, com um poço artesiano que proporciona à cidade mais 60 metros cúbicos por hora. Além disso, aumentamos a ETE Camanducaia, que passou de três para quatro módulos de tratamento, e inauguramos a ETE Primavera. Entregamos também um novo laboratório de análise da água, para controle da qualidade da água potável, o que também foi muito importante”, informou Luciana.

 

O ranking

Em sua quarta edição, o Ranking ABES da Universalização do Saneamento se consolidou como um importante instrumento de análise do setor no Brasil. A partir de indicadores de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, coleta e destinação adequada de resíduos sólidos, o ranking identifica o quão próximo os municípios estão da universalização do saneamento.

A edição 2020 reúne 1.857 municípios, representando cerca de 70% da população do país e mais de 33% dos municípios brasileiros que forneceram ao Sistema Nacional de Informações de Saneamento as informações para o cálculo de cada um dos cinco indicadores utilizados no estudo.

  

Comentários