fbpx

Reconciliação!

Conciliar significa estar em harmonia. Falar em conciliação representa o harmonizar duas ou mais partes ou pessoas. Estabelecer acordo. As situações que recebem maiores destaques são exatamente aquelas em que a desarmonia, a discórdia estão instaladas.

O grande malefício da exploração da desarmonia é o deixar as pessoas em estado de predisposição para ela, a desarmonia. Esse estado impede a soltura e o aproveitamento natural das ocorrências de nosso dia-a-dia. As pessoas ficam em constante estado de alerta, ansiosas a espera de algo que será ruim.

Isso gera e alimenta um estresse que irá a qualquer momento e por qualquer pretexto explodir. A tensão constante no aguardo de algo negativo impede qualquer tentativa de se manter o bom humor e se ter alegria frente às conquistas e acontecimentos. Nessa condição, a aproximação de alguém com quem se possa ter tido uma indisposição já é suficiente para achar que “lá vem ela de novo, o que será dessa vez?”.

Desde o acordar até o deitar pessoas estão tensas pelo cultivo dessa expectativa negativa de que acontecimentos ruins estão prestes a acontecer. Noites insones e mal dormidas, cansaço constante sem ainda nem ter iniciado o dia de trabalho, sobressalto só em escutar o chamado de seu nome são comuns quando o que se está cultivando é a desarmonia interior. Exatamente, interior, pois a desarmonia é mantida viva dentro de cada um. Quando há um desacordo externo é também ruim, porém a pessoa tem ciência do que está acontecendo e que deverá lidar com isso para resolver.    A discussão com o colega de trabalho será tanto mais rápido de resolver com a disposição de se falar sobre o ocorrido e se chegar a um acordo, seja pelo pedido de desculpas, pela adequada exposição de seu ponto de vista ou mesmo o reconhecimento das causas do ocorrido. Os fatos se materializam e canalizam o rumo para a solução.

A desarmonia interior considera fatores externos, mas com base em disposições pessoais que alimentam o estado de desarmonia. Não estão fundadas nos fatos, nas ocorrências, mas em predisposições. Por exemplo, uma pessoa pode viver um constante clima de tensão em seu trabalho porque carrega um forte sentimento de injustiça, onde tudo e todos se apresentarão então sempre contra ela. Não existe um fato, não houve (ainda) uma ocorrência, mas o estresse com certeza irá desencadeá-los. E quando ocorrem, a harmonização é muito complicada, pois a expectativa é sempre negativa.

Relações afetivas são bombardeadas frequentemente pela instalação no casal desse pano de fundo. E nada de bom que ocorra será visto com olhos de que a reconciliação está se deslumbrando.

Encontrei ha pouco com uma pessoa que conheço de longa data. Tenho estado com ela mais frequentemente e temos conversado de tudo. Política, esportes, trabalho e principalmente relacionamentos, e em nosso último encontro mais especificamente, família.

Chamou minha atenção o fato de que sendo ela uma pessoa tão culta e inteligente, no que diz respeito à afetividade familiar, se encontrando ha muito tempo “travada”, se impedindo assim de tomar atitudes que sabe serem as mais adequadas. Ela tem um problema que aflige a muitos: não se permitir a auto reconciliação. Não se perdoa por determinadas ações vividas no passado e com isso vivo dentro de si por todo esse tempo, penaliza-se, pois a autopunição lhe traz uma sensação de que está a resgatar suas “culpas e pecados”. Ainda não consegue fazer a substituição de erros por aprendizagem; culpas por responsabilidades e punições por consequências dos próprios atos.

Quem fica a cultivar apenas as culpas de sua existência não está realmente se modificando e corrigindo comportamentos que acredita não deveria ter tido e nem deverão acontecer mais.

Buscar a reconciliação consigo mesmo é o caminho para estabelecer a harmonização com dos demais. Quando se inicia essa jornada inicia também o surgimento de uma paz interior a muito não sentida.

Paulo Antolini é psicólogo, Psicoterapeuta, Practitioner Programação Neurolingüística, Administrador e Consultor de Empresas. | Fones: 019-3834-8149 / 019-99159-2480 / 011-97452-8262 | Email – paulo.salvio@terra.com.br

  

Comentários