fbpx

Reunião de trabalho define início da construção da ETA 5 em Jaguariúna para março

Uma reunião de trabalho definiu, na tarde desta quarta-feira (24), os detalhes para o início da construção da ETA (Estação de Tratamento de Água) 5, que irá ampliar em 50 litros por segundo o abastecimento em Jaguariúna. A obra deverá começar no final de março. O encontro reuniu a vice-prefeita e secretária municipal de Meio Ambiente, Rita Bergamasco, representantes do DAE (Departamento de Água e Esgoto) e da empresa Target, que venceu a licitação para realizar a obra.

A ordem de serviço, que define o início dos trabalhos, deverá ser assinada ainda nesta semana, segundo a analista de saneamento do DAE, Luciana Souza. A partir disso, a empresa terá nove meses para concluir a obra, que está orçada em R$ 3,1 milhões e será bancada com recursos do Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento), da Caixa Econômica Federal.

“Essa foi a primeira reunião com a empresa vencedora da licitação para definirmos o cronograma de trabalho. A previsão é de que a obra comece efetivamente no final de março e seja concluída dentro de no máximo nove meses”, explicou Rita Bergamasco. “Com essa obra, vamos conseguir tratar mais 50 litros por segundo de água, o que nos dará uma folga de seis a oito anos sem riscos de desabastecimento”, completou.

“Hoje foi o pontapé inicial para a obra, uma reunião inicial para esclarecermos alguns pontos e tirarmos dúvidas. Agora é colocar o projeto em prática, começando pelo cronograma de trabalho. O prazo contratual de entrega da obra é de nove meses, mas nós vamos reunir todos os esforços para que esse prazo seja reduzido”, disse Fábio César David, engenheiro eletricista e um dos proprietários da empresa Target.

A construção da ETA 5 marca novos investimentos da Prefeitura na ampliação do abastecimento da cidade depois de mais de 20 anos. A última ampliação da ETA Central foi inaugurada em dezembro de 2000. De lá para cá, foram feitos investimentos em reservatórios de água e poços artesianos, que também ajudam a ampliar o abastecimento, mas em proporções reduzidas em comparação à uma nova ETA.

  

Comentários