Ser o melhor

Por Gabriel Montenegro

Professor e psicólogo

Esse ano é um ano de Copa do Mundo, recentemente o atual técnico da seleção vem enfrentando críticas por não levar um dos destaques do time do Palmeiras, o meio-campo Raphael Veiga. Não sou palmeirense, mas é preciso admitir que essa ótima fase do time e do jogador dão a ele totais condições de compor a lista de convocados tanto para a Copa quanto para jogos amistosos da seleção. A sede da copa de 2002 será o Catar, devido às condições de clima de maneira inusitada os jogos da copa serão em novembro e dezembro. Até lá, quem sabe, Tite resolve levar o jogador. Anteriormente seguindo um costume de décadas, os jogos eram nos meses de junho e julho, sendo assim as convocações dos jogadores para a copa se dava no final do mês de abril, início do mês de maio. Dito isso a exatos 12 anos atrás, o Brasil enfrentava a ansiedade da convocação da Copa de 2010, e uma situação semelhante a desse ano, onde a expectativa por dois jovens na lista final era enorme, esses jovens eram Neymar e Paulo Henrique Ganso, naquele momento o Santos era o time do momento e essas dois jogadores eram o destaque daquele time que encantava o futebol brasileiro. Sem dúvidas ambos os dois eram os melhores em suas posições e fariam muito bem o seu papel se fossem convocados naquele momento. O tempo de Neymar foi a copa de 2014, 2018 e ainda é a maior liderança técnica dessa seleção de 2022, sendo nosso principal craque. Porém seu “parça” de 2010 PH Ganso, não seguiu o mesmo caminho de glórias, sofreu com muitas lesões e se tornou um jogador “comum”. 

Deixando o futebol de lado agora, vamos pensar sobre ser o melhor em nossas vidas, talvez você tenha se deparado em algum momento de sua jornada até aqui com a ideia de dar ou fazer sempre o seu melhor, na escola seu objetivo a cada prova ou cada resultado de média bimestral era sempre 10, no trabalho podem existir metas a serem batidas, melhor mãe do mundo e assim por diante, somos constantemente alertados a necessidade de sermos melhor sempre, sem entrar no mérito dos padrões de corpo, financeiro ou de equilíbrio emocional. Mas como é ser de fato o melhor? Quem pode nos dar esse título de ser o melhor? Afinal, segundo Jean-Jacques Rousseau¹ ninguém é bom juiz de si mesmo, então seria nossa própria decisão de ser o melhor, realmente o melhor que podemos oferecer? Quando algum aluno ou paciente chega em mim e diz, “Você é o melhor professor que já tive, o melhor psicólogo do mundo”, o que fazer com isso e quem traz essa garantia? 

Enquanto seres humanos temos muitas necessidades, mas quero destacar três, e dar luz a uma, temos a necessidade de autonomia, competência e pertencimento. Dando luz a ideia de competência (e prometendo um dia escrever sobre as outras duas necessidades), ser competente em algo é trazer a ideia de que você e eu damos conta de uma condição, mesmo que você não se sinta importante ou capaz, entenda que você reúne estruturas para tanto, mas não para tudo, ou seja, existem situações que realmente não estão prontas para serem respondidas agora, mas, as que são de sua possibilidade faça seu papel e entregue sua energia para tanto.  O pintor francês Nicolau Poussin² dizia: “O que vale a pena ser feito vale a pena ser bem feito”, por assim dizer, aquilo que é seu e precisa ser resolvido, resolva. Se importe com suas questões valorize suas ações, seja o seu melhor, dentro daquilo que seja seu.  Dê a oportunidade de reconhecer o que seja seu, e o que te compete, a competência é um aperfeiçoamento da vida, se você se reconhece como pessoa, naturalmente se compromete em competir com você mesmo, e nessa disputa você sempre sai vencedor, a competência é coroa da sua jornada de falhas, que são naturais mas são parte de você e de mim. Podemos não manter a excelência ou ser o melhor em tudo e tá tudo bem. Mesmo com as lesões no meio do caminho, mesmo com tudo que nos atravessa nunca deixe de saber que você é o melhor e tem o melhor para se oferecer. Você merece o seu melhor! Você é o seu melhor, então seja.

¹ Jean-Jacques Rousseau, também conhecido como J.J. Rousseau ou simplesmente Rousseau, foi um importante filósofo, teórico político, escritor e compositor.

² Nicolas Poussin foi um pintor francês do século XVII. É considerado um dos principais representantes do Classicismo francês no mundo das Artes Plásticas.

 

  

Comentários