Soropositivo para Dengue, morre paciente de 85 anos

O mosquito Aedes aegypti, conhecido por transmitir a dengue, a chikungunya e o zika vírus é provável causador da microcefalia em fetos

Um paciente de 85 anos, que estava internado na UTI da Santa Casa e morreu no sábado, dia 18, era soropositivo para dengue, segundo notificação do hospital. A doença não é apontada como causa direta da morte, mas um complicador do seu quadro clínico de hipertensão, agravado pela idade avançada.  Era morador da zona Norte.

O paciente é um dos três primeiros casos positivos de dengue em Mogi Guaçu este ano e que constam do relatório semanal emitido pela Vigilância Epidemiológica nesta quinta-feira, dia 2 de março. O diagnóstico de soropositivo entrou para o relatório com base em notificação que a Santa Casa fez à Vigilância Epidemiológica na sexta-feira, um dia antes de sua morte.

A VE ainda aguarda o resultado do laudo do Instituto Adolfo Lutz, que é o laboratório para onde são enviados os exames de casos suspeitos de dengue de Mogi Guaçu. O segundo paciente, um homem de meia idade, não chegou a ser internado. Ele recebeu acompanhamento na UBS (Unidade Básica de Saúde) da Zona Sul e já foi liberado. O terceiro é um menino de 4 anos incompletos, que mora próximo, no mesmo bairro da zona Sul. Ele também não precisou ser internado.

Os três confirmados no relatório desta semana são os primeiros de 2017 e são classificados como autóctones, isto é, os doentes foram infectados no território do Município. Do total de 149 notificações de casos suspeitos, 18 ainda aguardam laudo do Adolfo Lutz. Excluídos os positivos, os demais resultaram negativo para dengue.

Em Mogi Guaçu, não há registro de casos positivos de zika ou chicungunya, doenças que também são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, e nem de gripe A H1N1. A equipe de Controle de Dengue da Secretaria de Saúde realizou operação de bloqueio através de nebulização nos bairros de residência dos pacientes soropositivos.

Matéria: ASCOM

  

Comentários