Vereadores possenses e autoridades policiais discutem segurança pública e perturbação de sossego no município

Reunião na Câmara abordou o trabalho de integração entre as polícias na prevenção e combate aos crimes contra o patrimônio

Os vereadores de Santo Antônio de Posse reuniram-se, na quinta-feira (24), com as autoridades policiais do município para discutir questões relativas à segurança pública e as ações conjuntas que podem ser adotadas para melhorar a prevenção à criminalidade e aumentar a sensação de segurança dos munícipes. Casos de assaltos e furtos a residências e comércios, entre outros delitos, assustaram a população nas últimas semanas e fizeram com que o presidente da Câmara, Ednei Rodrigues Silva (Esquerdinha/PPS), e os demais vereadores convidassem as autoridades das Polícias Civil, Militar e Municipal a discutir o assunto.

“Temos sido muito abordados pelas pessoas nas ruas nos questionando sobre a segurança do município e gostaríamos de trazer algumas perguntas a vocês, especialmente sobre esses casos de invasão e roubos de residências e também furtos”, disse o presidente da Câmara no início da reunião.

O comandante do Batalhão da Polícia Militar de Santo Antônio de Posse, 1º sgt. Rogério Antonio de Lima, explicou que o final do ano é um período em que tradicionalmente ocorre um aumento em ocorrências desse tipo, principalmente devido ao chamado indulto de Natal. “Dezembro e janeiro são os meses em que mais acontecem furtos e roubos, principalmente por causa da chamada ‘saidinha de Natal’, com muitos presos recebendo o benefício de sair da cadeia, aí aqui fora eles se juntam em grupos para cometer esses delitos”, disse.

Os vereadores presentes, Ana Brandão (PMN), Antonio Carlos Cavalaro (Preto Eventos/PRP), Adalberto Bergo Filho (Dal do Betoca/PSB), Edson Gonçalves Santana (Baiano da Cesta/PRP), Carlos Roberto Perini (Nene Perim/PPS) e Sebastião Henrique de Souza (Neno do Gás/PSD), fizeram uma série de questionamentos, abordando também os casos de perturbação de sossego que vêm ocorrendo em área públicas, principalmente aos finais de semana, quando muitos jovens se reúnem nas praças até a madrugada, com bebida e som alto, e a polícia muitas vezes é acionada para coibir os excessos.  Eles também quiseram saber o que pode ser feito para ajudar a melhorar o trabalho integrado das corporações, garantindo melhores resultados no patrulhamento das ruas e na solução de crimes.

FALTA DE PESSOAL

No caso da Polícia Civil, o escrivão Pablo Emannuel Amaral da Silva e o investigador Geraldo Solera, que na reunião representaram o delegado que está em férias, apontaram que a falta de pessoal para auxiliar nos serviços administrativos e burocráticos dentro da delegacia contribui para sobrecarregar o trabalho de investigação de crimes, dificultando as diligências nas ruas. Os vereadores se comprometeram a conversar com o Poder Executivo para saber da possibilidade de que um funcionário possa ser deslocado a fim de reforçar o trabalho da equipe.

Já o diretor da Polícia Municipal, Marco Antonio Franco, e o superintendente Junior Campos destacaram o empenho da atual administração em dotar a corporação das melhores condições possíveis e enalteceram a integração e colaboração existente entre as polícias no município. “Nós, junto com a Polícia Militar e a Civil, trabalhamos em conjunto, independente das deficiências com o efetivo que cada corporação tenha, e estamos nos empenhando da melhor maneira possível e com o máximo de transparência, disso vocês podem ter certeza”, garantiu Franco.

Os assuntos tratados neste primeiro encontro serão melhor aprofundados e voltarão a ser discutidos numa próxima reunião a ser realizada em breve.

  

Comentários