Autoconhecimento (A Máscara Social), por Luciano Rocha

Todo indivíduo tende ao auto-desenvolvimento, isto é, tornar-se um ser único, desenvolvendo sua totalidade em direção à maior liberdade.

Temos em nós um centro da consciência, o EGO, que planeja e analisa nossa existência dando sentido consciente da direção que devemos seguir, porém nossa existência não se esgota com os aspectos conscientes, existe em nós o centro regulador da personalidade consciente e inconsciente, chamado por Jung de SELF. Os elementos conflitivos do consciente e do inconsciente se acham harmonizados no SELF, ele é o verdadeiro ponto central da personalidade, todos os sistemas que compõem nossa personalidade estão em torno dele.

Desde o início da vida somos levados a realizar aquilo que é socialmente aceito, para isso temos que reprimir partes de nossa personalidade e agregar maneiras de ser e existir que nem sempre condizem com o que somos de verdade, podemos dizer que criamos uma máscara para usarmos em sociedade, a PERSONA, como Jung dizia, e quanto mais forte for nossa identificação com essa máscara, mais repudiaremos outras partes de nós mesmos.

A criação dessa máscara é uma condição exigida para a vida em sociedade, porém quando reprimimos aspectos não aceitos acabamos por esconder de nós mesmos muitos aspectos essenciais de nossa constituição enquanto sujeitos, esses aspectos se tornam parte do que Jung chamava de SOMBRA, são partes de nós mesmos das quais nem sempre tomamos consciência, mas que agem em nós e através de nós, tomando o controle de nossa vida. Muitas vezes acabamos por projetar esses aspectos inconscientes de nós mesmos nos outros, esses aspectos NEGADOS em nós são vistos como pertencendo ao OUTRO.

A SOMBRA é parte integrante de nossa totalidade enquanto ser humanos não podendo ser simplesmente eliminada, pois sempre influencia em nossa vida estando nós conscientes disso ou não. Além dos aspectos negativos rejeitados para que se possa viver em sociedade, na SOMBRA também são depositadas muitas características positivas como criatividade, espontaneidade, vitalidade, entre outras que acabam por não se desenvolver plenamente enquanto a SOMBRA não for integrada à totalidade do nosso ser.

A ação de projetar nos outros algo que não é aceito em nós mesmos além de se constituir em fonte de discórdia, conflitos e preconceitos vários, atrapalha o nosso processo de desenvolvimento, de autoconhecimento, isto é, nos impede de nos tornarmos NÓS MESMOS.

Supervalorizar a ?máscara? que criamos para a vida em sociedade nos afasta de quem realmente somos, nos afasta dos nossos sentimentos genuínos fazendo com que nos tornemos um mero reflexo da sociedade.

Caro leitor, é possível integrar os vários aspectos de nossa personalidade, resgatar aquilo que deixamos esquecido e vivermos uma vida mais equilibrada, a psicoterapia é um meio eficiente de conseguir tal objetivo. Como dizia o sábio filósofo Sócrates, ?CONHEÇA A SI MESMO?. O autoconhecimento é o melhor caminho para o crescimento, para nos tornarmos únicos e adquirir maior liberdade. Até a próxima.

 


Comentários