Barrichello em busca da vitória mais desejada

Consagrado no automobilismo mundial, Rubinho tenta a vitória que falta em sua carreira justamente no traçado que ele define como “meu grande amor”

Rubens Barrichello declarou recentemente em entrevista à Revista GQ: “Interlagos é o grande amor da minha vida”. Dono de uma das carreiras mais ricas do esporte a motor brasileiro, o ex-ferrarista e campeão da Stock Car Pro Series em 2014 costuma dizer que foi criado tendo o autódromo como o quintal da sua casa.
Foi da laje da casa da avó, Dona Izaura, que o jovem Rubinho cresceu acompanhando várias corridas, vivenciando um ambiente que mais tarde se tornaria seu universo profissional. Entretanto, ainda que tenha doces lembranças dos tempos de infância, Barrichello também tem contas a acertar com a pista mais simbólica da sua trajetória.
Tanto na Fórmula 1 quanto na Stock Car Pro Series, duas categorias importantes em sua carreira, Rubens nunca conquistou uma vitória em Interlagos. E isso tem sido motivo de uma inquietação íntima: esta é a vitória que falta ao ídolo do esporte a motor brasileiro.

Fórmula 1 – A última vitória de Barrichello em Interlagos aconteceu ainda em 1989, quando fez uma participação em uma etapa da F-3 Sul-Americana em seu período de formação como piloto. Já na fase profissional da carreira, Rubens chegou perto da vitória algumas vezes, na Fórmula 1: largou na pole em três oportunidades (2003 e 2004, pela Ferrari; 2009, pela BrawnGP), mas seu melhor resultado no GP do Brasil foi um terceiro lugar, também em 2004. Foi na pista paulistana também que Rubinho fez sua última corrida na F-1, em novembro de 2011, defendendo a equipe britânica Williams.
Um ano antes, Barrichello teve a maior chance da vida de vencer no antigo “quintal de casa”. Na acidentada edição do GP do Brasil de F-1 em 2003, o piloto da Ferrari liderava com folga e levantava o público nas arquibancadas, mas o carro simplesmente apagou na Descida do Lago. Para desespero da torcida e frustração do piloto, a equipe italiana errou no cálculo de combustível, o que causou uma pane seca.

Stock Car — Em 21 largadas na principal categoria brasileira, em Interlagos, o mais perto que o piloto ficou do topo do pódio foi em 2016. Naquele ano, Rubens travou um verdadeiro duelo de gerações com o jovem Felipe Fraga, então com 21 anos, na batalha pelo título. Na Corrida do Milhão, Barrichello marcou sua única pole position pela Stock na pista paulistana, mas o tocantinense levou a melhor na prova e cruzou a linha de chegada com apenas 0s411 de vantagem. Ao todo, Barrichello contabiliza três pódios em Interlagos correndo pela Stock Car – dois em 2016 e um em 2018.
Rubens Barrichello chega a Interlagos para a Super Final BRB como líder do campeonato. Mas, curiosamente, é o único entre os finalistas que ainda não venceu no seu traçado predileto. Com 298 pontos, o dono do Toyota Corolla #111 da Full Time Sports luta pelo título da Stock Car com Daniel Serra (290), Gabriel Casagrande (288) e o argentino Matías Rossi (268).
Recentemente, Barrichello foi às lágrimas com a vitória do filho mais novo, Fernando ‘Fefo’, que foi pela primeira vez ao alto do pódio no BRB Fórmula 4 Brasil justamente em Interlagos, em agosto. A vitória do caçula da família, hoje com 17 anos, no traçado que Rubens ainda quer conquistar foi emocionante demais para o atual líder da Stock Car. “A gente conversou sobre vencer em Interlagos nestes dias”, disse Barrichello. “E aí vem ele e faz isso. É forte demais”.

Retrospecto dos finalistas em Interlagos
Rubens Barrichello

Largadas: 21
Vitórias: 0
Poles: 1 (2016)
Pódios: 3 (2016, 2016 e 2018)

Daniel Serra
Largadas: 33
Vitórias: 2 (2016 e 2018)
Poles: 2 (2007 e 2018)
Pódios: 11 (2007, 2011, 2011, 2016, 2017, 2018, 2019, 2019, 2021, 2021 e 2022)

Gabriel Casagrande
Largadas: 18
Vitórias: 2 (2021 e 2022)
Poles: 3 (2021, 2021 e 2022)
Pódios: 6 (2018, 2019, 2021, 2021, 2021 e 2022)

Matías Rossi
Largadas: 9
Vitórias: 1 (2022)
Poles: 0
Pódios: 1 (2022)

Super Final BRB, Interlagos, programação:
Quinta-feira, 8 de dezembro

07h25 – Copa HB20 – Shakedown
08h30 – Stock Series – Treino Livre 1
09h05 – BRB Fórmula 4 Brasil – Treino Livre 1
09h50 – Copa HB20 – Treino Livre 1
10h20 – Stock Series – Treino Livre 2
11h00 – BRB Fórmula 4 Brasil – Treino Livre 2
11h50 – Copa HB20 – Treino Livre 2
12h25 – Stock Series – Treino Livre 3
14h00 – Copa HB20 – Treino Livre 3

Sexta-feira, 9 de dezembro
07h00 – Copa HB20 – Treino Livre 4
08h05 – Stock Series – Shakedown
08h20 – BRB Fórmula 4 Brasil – Shakedown
09h50 – Stock Series – Classificação
10h05 – Stock Car – Treino Livre 1
11h15 – BRB Fórmula 4 Brasil – Classificação
11h45 – Copa HB20 – Classificação
14h15 – Stock Car – Treino Livre 2
15h50 – Stock Series – Corrida 1 (30 minutos + 1 volta)

Sábado, 10 de dezembro
09h55 – BRB Fórmula 4 Brasil – Corrida 1 (25 minutos + 1 volta)
13h20 – Stock Car – Shakedown
13h55 – BRB Fórmula 4 Brasil – Corrida 2 (18 minutos + 1 volta)
14h40 – Stock Car – Classificação
16h30 – Copa HB20 – Corrida 1 (25 minutos + 1 volta)

Domingo, 11 de dezembro
10h35 – Visitação aos Boxes
13h00 – BRB Fórmula 4 Brasil – Corrida 3 (25 minutos + 1 volta)
14h15 – Stock Car – Corrida 1 (30 minutos + 1 volta)
14h55 – Stock Car – Corrida 2 (30 minutos + 1 volta)
16h20 – Copa HB20 – Corrida 2 (25 minutos + 1 volta)
17h25 – Stock Series – Corrida 2 (30 minutos + 1 volta)

Classificação do campeonato após 11 etapas (22 corridas):
1º – Rubens Barrichello, 298 pontos
2º – Daniel Serra, 290
3º – Gabriel Casagrande, 288
4º – Matías Rossi, 268
5º – Ricardo Zonta, 237
6º – Bruno Baptista, 232
7º – Ricardo Maurício, 222
8º – Thiago Camilo, 214
9º – Nelson Piquet Jr., 212
10º – César Ramos, 199
11º – Gaetano Di Mauro, 198
12º – Guilherme Salas, 164
13º – Rafael Suzuki, 159
14º – Galid Osman, 158
15º – Julio Campos, 147
16º – Diego Nunes, 140
17º – Átila Abreu, 139
18º – Felipe Lapenna, 134
19º – Allam Khodair, 131
20º – Marcos Gomes, 120
21º – Sérgio Jimenez, 96
22º – Tony Kanaan, 94
23º – Pedro Cardoso, 84
24º – Felipe Baptista, 82
25º – Cacá Bueno, 82
26º – Denis Navarro, 80
27º – Felipe Massa, 78
28º – Lucas Foresti, 73
29º – Rodrigo Baptista, 44
30º – Gianluca Petecof, 42
31º – Felipe Fraga, 25
32º – Andrés Jakos, 23
33º – Julián Santero, 19
34º – Tuca Antoniazi, 11
35º – Gabriel Robe, 11
36º – Beto Monteiro, 7
37º – Thiago Vivacqua, 4
38º – Gustavo Frigotto, 3
39º – Diego Azar, 1
40º – Renato Braga, 0
41º – Raphael Teixeira, 0
42º – André Moraes Jr., 0

  

Comentários