Grupo vizinho solidário realiza revitalização da Praça das Crianças


Em meados de outubro doe 2019, Sonia Baiochi teve a ideia de criar o Grupo Vizinhos Solidários. Para que foi possível realizar um sonho, a revitalização da Praça das Crianças, no Jardim Nossa Senhora das Graças.

Os moradores de ruas estavam incomodando os moradores, clientes do Supermercado e toda vizinhança.” Os que eu tinha contato de telefone fui convidando a participar, os outros fui chamando pelo face e o Grupo foi crescendo. A Mirtes chegou e começou a me ajudar, tivemos uma Grande ajuda da Guarda Municipal, que tentou repatriar os andarilhos para sua Cidade de origem ou encaminhar para Albergue e Clínica especializada, os primeiros dias foram difíceis porque a Guarda retirava e eles voltavam”, salientou Sonia.

Depois disso o Grupo foi se fortalecendo e surgiu a ideia de realizar reuniões, participavam Sonia , Mirtes ,Ana Lúcia, e o Grupo foi aumentando, chegou a Valéria, Serginho ,Paulinho, Cristhiano , Adriana, Claudia, Mariana, Hélcio, Bete e deu início  a limpeza e poda da grama, da praça.

O Dito começou a nos incentivar com os vales compras, e começaram a fazer as rifas para ter um fundo de caixa.

A Valéria conversou com o pessoal da Faculdade Uni Mogi e teve início nosso primeiro mutirão com a colaboração dos alunos de Arquitetura e Pedagogia. Esqueci de citar a Maria Lúcia que junto com a Mirtes começaram a ajudar

Depois de ver o abandono da praça, a iniciativa se deu pelo Medo do risco com a dengue, de cair toco de galhos que deixaram de recolher quando cortaram, medo da sujeira e lixo espalhados por onde estavam moradores de rua , medo de sair na rua por conta do tráfico de drogas que viam diariamente, de entrar e sair das casa por conta das abordagens, enfim, estavam reféns de uma situação que não viam solução a curto prazo.

Sonia, Mirtes e Maria Lúcia começaram a ligar para a guarda, a mobilizar outras pessoas.

“Foi chegando mais gente que estava vendo tudo, mas também com medo de se expor e sofrer retaliações. Marcamos a primeira reunião e muitos participaram. Enfrentamos os desafios, a gente cutucava as árvores e eu fotografava tudo.” Salientou Sonia.

Sentadas no banco, postaram a primeira situação desse movimento. Daí para a frente, foi chegando gente, um dos pontos abordados na reunião, além da segurança, riscos e doenças, foi a desvalorização dos nossos imóveis.

Outros recursos vieram de empresas privadas que viram o esforço do Grupo e resolveram ajudar. O comércio que davam desde descontos maravilhosos, como doavam saco de cimento, tinta. Doações de brinquedos, lixeira, sacolinhas para retirar as fezes dos cães.

“Queremos deixar claro que não tivemos ajuda e nem fomos procurados por nem um político, nem pré candidato. Nosso trabalho não envolve política, religião, entre outros”, ressaltou.

  

Comentários