Jhenifer Nayara fez intercâmbio na Noruega por meio de programa parceiro do Projeto Guri e, após ótima experiência, decidiu morar no país estrangeiro

Ex-aluna do Projeto Guri, Jhenifer Nayara viveu os momentos mais importantes de sua vida, segundo ela, durante o intercâmbio na Noruega. A jornada foi proporcionada pelo Move (Musicians and Organizers Volunteer Exchange), programa custeado pelas Forças de Paz da Noruega (Fredskorpset – FK Norway), que envia jovens dos países participantes para intercâmbios com o intuito de desenvolver novas habilidades individuais, interpessoais e culturais, ampliando e enriquecendo também as referências das comunidades onde eles desenvolvem projetos e atividades transformadoras.

Jhenifer começou a estudar música no Projeto Guri, em 2011, no Polo Piracicaba. Com apenas 12 anos, a jovem teve aulas de coral e flauta transversal, onde ficou por seis anos. Em seguida, ela continua estudando flauta no Conservatório de Tatuí. Faltando apenas dois anos para sua formação no Conservatório, a musicista recebeu a oportunidade de realizar o intercâmbio para a Noruega, onde permaneceu por nove meses e se desenvolveu profissionalmente.

Durante o período vivido como intercambista, a ex-Guri se dedicou a transmitir um pouco de sua cultura para as pessoas que teve contato. A jovem ensaiava com alunos do Jardim da Infância, para ensinar músicas típicas brasileiras, realizou um workshop na universidade local (também sobre músicas do País) e produziu uma apresentação sobre o Brasil para os alunos da escola em que ela estudava.

Para Jhenifer, viver fora do Brasil colaborou para o seu crescimento cultural como ser humano. “Tive contato com artistas fantásticos que me agregaram positivamente com as vivências diferentes das que eu estava acostumada. Toda a experiência foi capaz de ampliar meus horizontes e me mostrar o quanto estou preparada para viver grandes momentos com a música”, conta.

De acordo com a jovem, o Move foi um grande salto que contribuiu muito para o seu desenvolvimento profissional. “Desde que comecei a enxergar a música como uma profissão, consegui realizar diferentes projetos. Tive uma banda com músicas autorais, na qual explorei minha criatividade, participei de competições musicais e festivais e toquei em grandes orquestras”, pontua.

No momento, a flautista está traçando uma nova rota para sua carreira na música. Por meio dos momentos vividos no Move, decidiu continuar sua vida na Noruega, onde seguirá aprimorando seus estudos e sua profissão.

 

Do Guri para o Mundo

A série Do Guri para o Mundo foi criada para retratar o caminho trilhando pelos Guris: quem são, onde estão e o que mudou na vida deles. São histórias inspiradoras que celebram os 25 anos do Projeto Guri e prestam homenagem aos mais de 810 mil ex-alunos beneficiados pelo programa e, consequentemente, pelo poder de transformação da música. A cada semana, a série destaca um personagem nas redes sociais do Projeto Guri e na Sustenidos – organização que administra o programa.

http://www.projetoguri.org.br/noticias/do-guri-para-o-mundo/

 

MOVE (Musicians and Organizers Volunteer Exchange).

O programa, custeado pelas Forças de Paz da Noruega (Fredskorpset – FK Norway), envia jovens dos países participantes para intercâmbios com o intuito de desenvolver novas habilidades individuais, interpessoais e culturais, ampliando e enriquecendo também as referências das comunidades onde eles desenvolvem projetos e atividades transformadoras. Desde 2015, esta iniciativa já beneficiou 40 jovens brasileiros e estrangeiros.

Devido às restrições impostas pela pandemia, o MOVE foi interrompido em 2020 nos países parceiros: Noruega, Malawi, Moçambique e Brasil. As atividades de intercâmbio que regularmente iniciam na Noruega e continuam nos demais países parceiros, serão retomadas apenas em 2021.

Patrocinadores do Projeto Guri – Sustenidos: CTG Brasil; CCR AutoBAn; Instituto CCR; VISA; Bayer; WestRock; Microsoft; Supermercados Tauste; banco BV; Novelis; Arteris; EMS; Capuani do Brasil; Faber-Castell; Pinheiro Neto; Santander; VALGROUP; Raízen; BTP; Distribuidora Ikeda; Grupo Maringá; Instituto 3M; Supermercados Rondon; Frigol; Mercedes-Benz; Castelo Alimentos; ENEL; GRUPO GR; Cipatex; Grupo Herval, Pirelli.
Patrocinadores Sustenidos: CTG Brasil; Visa; SulAmérica e Microsoft.

 

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Sustenidos, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 810 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

 

Sobre a Sustenidos: Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Sustenidos é a organização gestora do Festival Ethno Brazil, Som Na Estrada, Festival Imagine Brazil, MOVE (Musicians and Organizers Volunteer Exchange) e Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa de ensino musical no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Sustenidos conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Sustenidos, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: http://www.sustenidos.org.br/pessoa-fisica/

  

Comentários