Ministério Público Eleitoral apura finalidade de cestas básicas encontradas em prédio público de Artur Nogueira

O Ministério Público Eleitoral divulgou na sexta-feira, dia 6 de novembro, que a promotora de justiça Eleitoral, responsável pela 75ª Zona Eleitoral de Mogi Mirim, Drª Paula Magalhães da Silva Rennó, esteve em Artur Nogueira, no Núcleo Administrativo Municipal, no último dia 3 de novembro, acompanhada por Oficial de Justiça. A promotora estava munida de um mandado de constatação expedido pela Justiça Eleitoral para averiguar a existência de cestas básicas que estariam armazenadas no referido local.

De fato, foram localizadas centenas de cestas básicas nesse local cuja finalidade ainda está sendo apurada. Essa busca ocorreu devido a uma denúncia anônima afirmando que o candidato a reeleição Ivan Vicensotti estaria fazendo a distribuição das referidas cestas básicas a eleitores da cidade, com a suposta finalidade de compra de votos.

O Ministério Público e da Justiça Eleitoral seguem apurando o caso para estabelecer a veracidade ou não dos fatos constantes na denúncia anônima. Através de Nota a Prefeitura Municipal se posicionou sobre o caso:

 

NOTA DA PREFEITURA

“A Prefeitura Municipal de Artur Nogueira, através de suas Secretarias de Negócios Jurídico e Assistência Social, vem a público manifestar repúdio pela matéria veiculada neste fim de tarde de sexta-feira (6), após encerramento do expediente nas respetivas repartições públicas, esclarecendo que não houve nenhuma notificação de abertura de procedimento, seja administrativo ou eleitoral, acerca de entrega de cestas básicas de forma ilegal. Não houve também nenhuma apreensão de cestas básicas irregulares em prédios públicos, tampouco houve servidores públicos ou agentes políticos intimados ou notificados a prestar qualquer esclarecimento acerca de tal assunto.

As cestas básicas entregues via CRAS pela Secretaria de Assistência Social segue rigorosamente as normais legais e notícias desprovidas de veracidade, tendenciosas e de cunho eleitoral, só servem para atrapalhar os serviços prestados por uma importante secretaria, e os maiores prejudicados são os mais necessitados que dependem deste serviço.

Estaremos tomando as medidas judiciais cabíveis para apuração de tal ato”, informou.

  

Comentários