No Estado de São Paulo, 41% dos bares e restaurantes trabalharam com lucro em julho; percentual supera a meta nacional

30% do setor prevê contratar funcionários no segundo semestre

Campinas, 10 de agosto de 2022 – Os bares e restaurantes vêm recuperando as vendas e fazendo lucro. É o que aponta levantamento da Abrasel com 1.484 estabelecimentos de todo o Brasil. Em julho, 37% disseram ter obtido lucro, melhor marca do ano (em junho eram 35%). Outros 37% ficaram em equilíbrio. No Estado de São Paulo, incluindo as cidades da Regional Campinas, o percentual foi de 41%, superando a média nacional. Já o índice de quem ainda realiza prejuízo também caiu de 30% para 27%, no estado, enquanto que o percentual de equilíbrio foi de 32%

Para o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) Regional Campinas, Matheus Mason, o aumento dos estabelecimentos operando com lucro é um sinal positivo, ainda de recuperação. “Por outro lado, a situação ainda continua difícil diante do quadro inflacionário e aumento dos preços dos produtos, que obriga os empresários a buscarem soluções para equilibrar as contas e evitar grandes repasses para o cliente”, explica.

Mason lembra que a inflação continua como a grande vilã, com o aumento dos custos em alimentos e bebidas sendo apontado como o principal fator para 75% dos que tiveram um resultado ruim.

A boa notícia vem do otimismo em relação ao futuro. “Cerca de 30% dos bares e restaurantes pretendem contratar funcionários até o final deste ano, enquanto 63% esperam manter o quadro”, pontua o presidente da Abrasel Regional Campinas. Dentre os fatores para contratação, ele pontua dois grandes eventos para este segundo semestre: “Teremos Copa do Mundo e as festas de final de ano, que devem trazer um movimento extra”, acrescenta.

“A tendência é de melhora, de recuperação de margem e até de crescimento nas vendas e na criação de empregos – nossa expectativa é que sejam criadas 100 mil vagas até o fim do ano em todo o Brasil. Ainda é preciso muita atenção para com os que têm dívidas e acumulam prejuízos seguidos, mas estamos esperançosos que este segundo semestre, com o verão se aproximando e um grande evento antes das festas de fim de ano, a Copa do Mundo de 2022, nos traga melhores ventos”, complementa Paulo Solmucci, presidente nacional da Abrasel.

  

Comentários