O GATO OSCAR: Um Felino Especial que ajudou a salvar muitas vidas humanas

(Créditos da imagem: http://g1.globo.com/Noticias/PlanetaBizarro/0,,MUL1472998-6091,00-GATO+PREVIU+A+MORTE+DE+PACIENTES+EM+CASA+DE+REPOUSO+DIZ+MEDICO.html)

A cada dia que passa, as pessoas se surpreendem com as reações dos animais, com notícias viralizando na Internet. São surpreendentes e muitos deles são capazes de identificar possíveis doenças em humanos quando menos se imagina. Há cães treinados para identificar futuras células cancerosas em humanos; há outros, principalmente, os domésticos, que sabem quando estamos felizes e tristes. São percepções extrassensoriais, já comprovadas cientificamente e, somente agora, estamos tomando conhecimento dos fatos. Na verdade, quem convive com eles em casa, sabe muito bem o que afirmo. Isso ocorreu comigo muitas vezes, quando estava prestes a chegar em casa, vindo do trabalho, minha esposa dizia-me: eu sabia que você estava bem próximo. Eu indagava o porquê e ela, sucintamente, afirmava que o Dickey (poodle que éramos tutores), cinco minutos antes de você chegar, sentou-se frente à porta. Ele faz isso sempre e não erra nunca. Ficava sempre ao meu lado e o gatinho próximo à minha esposa. Tanto o Dickey quanto o Eshe (nosso gato) eram muito colados conosco. O Dickey infelizmente já faleceu. Morreu com 17 anos bem vividos e muito amado e deixou um rastro de imensa saudade. O Eshe também morreu, da mesma forma amado por mim e esposa, amados como nossos filhos pets. Nós aprendemos muito com a convivência deles e sempre fizeram parte de nossa família. Quem sabe, um dia, quando eu morrer, minha alma não se encontrará com eles na espiritualidade????

UMA HISTÓRIA REAL E ATÍPICA

Aproveitando o ensejo, registro para os(as) prezados(as) leitores, uma história também real e atípica. Num hospital para idosos, Clinical Steer, na Flórida, um caso realmente sensacional que deixou muita gente estupefata pela esperteza e percepção do felino. Nessa clínica havia um gato adotado pelos médicos e enfermeiros, circulando pelo hospital, pois os pacientes se sentem melhores, com astral mais elevado, na presença de animais que percebem o quanto eles necessitam de carinho. Todos os dias ele entrava nos quartos, olhando um por um dos pacientes e, inesperadamente, parava em frente a um deles, como se percebesse alguma anormalidade, miando insistentemente para chamar a atenção de enfermeiros. Exatamente, como sinalizasse alguma anomalia no paciente, algo grave que merecia total atenção dos médicos. Como os enfermeiros não “decodificavam” a mensagem através dos miados”, o enfermo morria algumas horas depois. Na verdade, foram 52 óbitos sinalizados e não entendidos pelo corpo de enfermeiros. À medida que o tempo passava, o cenário era o mesmo. Identificava alguém que estava mau mas ninguém conseguia entender o “sinal” e o resultado era sempre o mesmo: a morte do doente.

A SINALIZAÇÃO DO FELINO – trombose

O fato intrigou os médicos que determinaram aos enfermeiros que todas as vezes que isso ocorresse, colocassem o paciente na maca e levassem-no à UTI, para análise e tratamento. E assim foi feito!

Numa dessas manhãs, quando o gato visitava os quartos, ele parou na frente de um paciente, pulou sobre a cama, sentando-se em uma de suas pernas, miando insistentemente. Cientes das ordens médicas, os enfermeiros colocaram o paciente na maca e levaram-no para a UTI. Resultado: a perna que o gato estava sentado, estava desenvolvendo uma trombose que levaria o paciente ao óbito em poucas horas. Ele foi salvo, graças ao sinal desse felino.

SENCIÊNCIA ANIMAL – eles têm consciência, sentimentos e emoções

Hoje, sabemos que animais como gatos, cães e todos os demais animais mamíferos, além de peixes, cetáceos e polvos têm um nome sugestivo, novo e peculiar: senciência dos animais.
Senciência é um neologismo ou nova palavra que fora criada em 2012 por neurocientistas canadenses, chefiados pelo dr. Philip Low, docente da Universidade Stanford e pesquisador do MIT – Massachussets Institute of Technology, cujos estudos foram revelados na Universidade de Cambridge, situada no Reino Unido a demais cientistas, comprovando que os animais têm sensibilidades, assim como emoções, sentimentos igual a todos nós humanos, além de percepções conhecidas como extrassensoriais.

Na verdade, muitos supunham que os animais não tinham consciência, em virtude de não possuir o córtex cerebral muito desenvolvido como o dos humanos. Mas, Low, desmistificou o assunto, afirmando através de seus proficientes estudos que a consciência não se limita ao córtex cerebral, mas, a todo escopo cerebral. Isso tornou-se um divisor de águas e novidade para a neurociência, estudo devidamente comprovado por ele e demais pesquisadores. E para ratificar o que tivera afirmado, cunhou uma frase bem simples e coloquial – ” agora, não podemos mais dizer que não sabíamos.”

A JUSTA HOMENAGEM POR PARTE DE MÉDICOS, ENFERMEIROS

O gato merecidamente recebeu homenagem especial – um busto na porta do hospital, com uma medalha e nome – passou a ser chamado por todos como Oscar. O fato ocorreu em 2012. Não sei se o felino ainda se encontra nessa clínica ou hospital. Contudo, algo é certo: deixou muita gente surpresa e tornou-se um símbolo para todos funcionários, enfermeiros e médicos, além da simpatia e muito carinho por parte dessas pessoas que nunca imaginaram o que um “simples” felino seria capaz de ter tanta utilidade. Por isso, olhemos com mais atenção nossos pets, cientes que eles são portadores de sensibilidades como consciência, emoções e sentimentos, além de outras peculiaridades que jamais poderíamos imaginar. São seres sencientes como todos nós e não há resquício de dúvida em relação a iss o. Eles sentem como todos nós!

Gilberto Pinheiro é jornalista, palestrante em escolas, universidades, destacando a senciência e direitos dos animais.
E-mail: gilberto_pinheiro@yahoo.com.br
Lembrando: maus-tratos aos animais, denunciem.
Precisamos estar atentos e fazer a nossa parte.

  

Comentários