Oficina de Narração Oral e Performance é bem avaliada em Itapira

Realizada no último sábado, 27, a Oficina de Narração Oral e Performance, realizada pela Secretaria de Cultura e Turismo em parceria com a Poiesis Organização Social de Cultura – Programa Oficinas Culturais da Secretaria de Estado da Cultura do Governo de São Paulo e também com o Projeto Garagem, reuniu 15 pessoas interessadas em aprender mais sobre contação de história.

O trabalho foi coordenado pelo agente cultural Markito Alonso, artista é formado como Relações Públicas, Ator e Locutor, que falou um pouco das formas de criação e memorização de histórias, além da utilização de técnicas corporais e de sonoridades como forma de amplificar a oralidade. “Foi muito proveitoso. O Markito foi conduzindo a oficina de maneira bem leve e instrutiva. Ele fazia perguntas para os participantes e, de acordo com as respostas, conduzia a oficina e falava de suas experiências pessoais”, avaliou o diretor de Cultura, Ricardo Pecego.

O trabalho teve início pela manhã e se estendeu até o período da tarde. A atividade foi gratuita e os participantes receberão certificado emitido pela Poiesis.

Sobre Markito Alonso

É Agente Cultural desde o ano de 2002, o artista é formado como Relações Públicas, Ator e Locutor. Nas artes dramáticas, iniciou seus estudos na Escola Macunaíma em 2002. Em 2005 fez parte do Grupo Gullik de Teatro, onde montou textos de William Shakespeare e Woody Allen. No ano de 2007, Markito entrou para o Centro de Pesquisa Teatral, coordenado por Antunes Filho, nesta passagem, o ator participou da montagem do texto de Nelson Rodrigues, “A Falecida”, que foi batizado, na versão do diretor Antunes Filho, como “A Falecida Vapt-Vupt”, ficando em cartaz até 2010 no Sesc Consolação. A partir de 2010, Markito dedicou-se aos estudos da escrita criativa com o autor e mestre Luiz Antonio de Assis Brasil e com os dramaturgos Alberto Villa-Real (México) e Alejandro Tantarian (Argentina). Neste campo, é co-autor da peça “Sala de Espera”, dirigida por Thiago Balieiro, que teve sua estreia no ano de 2012 no Espaço Parlapatões. Entre os anos de 2009 e 2010, escreveu roteiros de animação para o Estúdio Mono3D. Pensando em unir a palavra escrita e tradição oral, estudou a arte de contar histórias com Sandra Lessa e com Arlenn Thibault (Canadá). Atualmente, Markito Alonso é autor e narrador de histórias no projeto Esopo em Dó Maior, que conta com um repertório de mais de dez composições/histórias prontas, e já se apresentou em diversos espaços como: Fábricas de Cultura, Centro Cultural São Paulo, Centro Cultural da Juventude, Museu da Imagem e do Som. Além deles, o grupo realiza residência, pelo segundo ano consecutivo, na Biblioteca Mário de Andrade. Com Leonardo Santiago, o narrador também criou o projeto Os Cortejados, onde une canções folclóricas, clown e histórias sobre a morte. No teatro, estreara em 2016 a peça de sua autoria “Antes das Brumas”, com direção de Bruno Comitre. Além disso, entre os anos de 2004 e 2011, foi responsável pela programação da Web Radio e TV do Centro Cultural São Paulo, onde produziu, roteirizou e apresentou mais de 300 programas, entre roteiros de radionovela e entrevistas destacam-se os programas: Keep Rockin, Só Blues, Crônicas de Toca Discos, Escuta SP e Clássicos do Domingo na Web. Em 2010, participou do Congresso “Ondas em Coro”, em Córdoba (Argentina), palestrando sobre os rumos das rádios com as novas tecnologias.

Matéria: ASCOM

  

Comentários