fbpx

Parlamento da RMC debate qualificação em língua inglesa

O Parlamento da RMC, que congrega vereadores das 20 cidades que formam a região metropolitana de Campinas, reuniu-se na última quinta-feira em Engenheiro Coelho. Entre os temas debatidos esteve a importância em qualificar a mão de obra da região de forma eficiente em língua inglesa, habilidade cada vez mais exigida pelo mercado de trabalho. Os vereadores José Zan(Zé Cabelo) e Jacinta Heijden representaram o Legislativo holambrense.

Com palestra intitulada “A importância do inglês na formação da força de trabalho na RMC”, Lúcio Sardinha, presidente da Up Language (que representa a certificação Toefl no Brasil) relatou o problema enfrentado por empresas estrangeiras ou brasileiras internacionalizadas instaladas na RMC e que por vezes necessitam captar profissionais certificados em inglês em outras regiões.

De acordo com o empresário, áreas como tecnologia de informação e turismo também são afetadas pelo baixo número de brasileiros que detêm fluência no idioma. Até mesmo o programa federal Ciências Sem Fronteiras encontra problemas pela ausência de candidatos habilitados ao nível de inglês exigido.

Projeto piloto vem sendo desenvolvido pela Up em parceria com escolas estaduais visando promover o ensino do inglês e, através da aplicação de testes de avaliação de aprendizagem, permitir que alunos cheguem ao final do ensino médio certificados na língua, garantindo às novas gerações espaço num mercado de trabalho cada vez mais competitivo.

Parto humanizado
Outro assunto em destaque na reunião foi o projeto de lei que obriga que estabelecimentos de saúde da rede municipal ou hospitais contratados permitam que parturientes possam ser acompanhadas por “doulas” desde o período de trabalho de parto até o pós-parto. O termo refere-se a acompanhantes profissionais, responsáveis pelo conforto físico e emocional da parturiente, que colaboram para a humanização do parto. Pesquisas apontam que em locais onde o método foi aplicado o número de cesáreas caiu pela metade e o uso do hormônio ocitocina (que promove contrações musculares uterinas e reduz o sangramento durante o parto) diminuiu em 25%. O projeto poderá ser apresentado pelos vereadores da RMC em suas respectivas Câmaras.

  

Comentários