Prefeitura inaugura centro de atendimento voltado para mulheres vítimas de violência

Foi entregue nesta sexta-feira, 30, o CREM – Centro de Referência Especializado da Mulher. Localizado na Rua Ribeiro de Barros, n° 62 (em frente ao Parque Juca Mulato), o espaço é destinado ao acolhimento e atendimento humanizado às mulheres vítimas de violência.

O CREM foi criado para ser a referência de apoio à mulher vítima de violência, promovendo principalmente a sustentabilidade das mesmas e encaminhamentos necessários para a superação da situação vivida. Para isso, contará com uma equipe técnica especializada para proporcionar amparo e proteção a todas e ofertar serviços de atendimento social, orientação psicológica, encaminhamentos jurídicos, oficinas e cursos profissionalizantes.

“Nesse cenário atual com tantos registros de violência contra a mulher é muito gratificante poder entregar um espaço como esse, pronto para acolher a todas e oferecer um atendimento completo que será de extrema importância para a recuperação dessas vítimas de vários tipos de agressão”, disse o Prefeito Toninho Bellini.

A equipe técnica fixa do CREM conta com profissionais da Secretaria de Promoção Social, sendo uma assistente social, uma psicóloga, uma assistente administrativa, um auxiliar de serviços gerais, uma oficineira, um terapeuta ocupacional e uma educadora social. Alguns atendimentos também serão feitos em parceria com a Guarda Civil Municipal e a OAB Itapira através da Comissão da Mulher. A empresa Lowell Cosméticos também é parceira do projeto. “Esse um momento de grande alegria. É muito gratificante ver um sonho de muitos anos sendo concretizado. Agradeço muito ao nosso prefeito por ter abraçado e se dedicado a essa causa, à Comissão da Mulher Advogada da OAB que desde o começo está trabalhando com a gente e também à toda a minha equipe pelo trabalho excepcional”, disse a Secretária de Promoção Social Regina Ramil Marella.

A presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB Itapira, Vivian Nicolai, falou sobre a importância do projeto, principalmente pelo fato de reunir em um só lugar todos os serviços voltados para a mulher vítima de violência. “Aqui vamos agrupar todos os serviços que a mulher precisa para ser acolhida. Sem o CREM, essa vítima precisava se dirigir a vários locais diferentes e acabava desistindo no meio do processo”, explicou. Ela também adiantou que a partir de agora os plantões voluntários das advogadas passará a ser no local. “Nós sempre sentimos essa necessidade de ter um apoio de outras áreas durante nossos atendimentos. E aqui teremos todos os profissionais em um só lugar”.

As atividades no CREM ocorrerão de segunda à sexta-feira das 8h00 às 17h00. A forma de acesso ao serviço poderá ser de maneira espontânea ou através de encaminhamentos feitos pela rede socioassistencial do município, busca ativa ou por demais políticas públicas envolvidas no atendimento à mulher vítima de violência.

Os acolhimentos iniciais serão realizados diariamente por um dos membros da equipe e direcionado para o técnico de referência mediante a demanda apresentada. “Haverá um grupo semanal de acolhimento, onde as mulheres receberão as orientações sobre o funcionamento do Centro, bem como sobre seus direitos e diferentes formas de violência encontradas no cotidiano. Após este grupo de acolhimento, segue-se para os atendimentos individuais. Este é um momento muito delicado para a mulher, pois falar das tristezas, angústias e medos é sempre muito doloroso. A equipe técnica interdisciplinar é preparada para o acolhimento, escuta qualificada, acompanhamento e encaminhamento das mulheres segundo a realidade e a necessidade de cada uma”, destacou a Secretária de Promoção Social. Posteriormente será ofertada às mulheres a inserção nas atividades ofertadas pelo Centro.

Alguns dos principais objetivos do CREM são cessar a situação de violência vivenciada pela mulher sem ferir o seu direito à autodeterminação, promover meios para que ela fortaleça sua autoestima e tome decisões relativas à situação de violência por ela vivenciada. “Queremos não somente atender essas mulheres, mas também empoderá-las para que elas consigam sair dessa situação”, resumiu Vivian Nicolai.

As mulheres que necessitem de algum atendimento ou orientação podem entrar em contato através do telefone (19) 3843.2148.

  

Comentários