Primeiro Centro de Referência para autistas em Jaguariúna  

“Existem mais de 120 pessoas – de idades variadas – com Transtorno do Espectro Autista (TEA) em Jaguariúna”, afirma a secretária Municipal de Saúde, Maria do Carmo de Oliveira Pelisão

Em reunião realizada nesta segunda-feira, 10, na Prefeitura Municipal de Jaguariúna, o Prefeito Gustavo Reis conheceu o projeto do Centro de Referência do Autismo de Jaguariúna (CAJ). Um local que será construído para atender crianças autistas da cidade, com tratamento de referência e apoio às famílias.

Estiveram presentes na reunião a secretária Municipal de Saúde, Maria do Carmo de Oliveira Pelisão, o diretor Municipal de Saúde, Jackson Igor da Silva, o Presidente do Centro de Equoterapia de Jaguariúna (CEJ) Wilson Melilo e o Arquiteto Thiago Garcia, que apresentou o projeto do CAJ. Segundo a secretária Maria do Carmo, a ideia partiu do município, que, ao notar as necessidades dos autistas e das famílias de autistas atendidas pela Prefeitura, propôs a construção do CAJ.

O Centro é de responsabilidade do CEJ em parceria com a Prefeitura de Jaguariúna. “O município apoia a construção e o funcionamento do CAJ e pode entrar de maneira legal para conseguir recursos e emendas parlamentares para esses atendimentos”, afirma Maria do Carmo.

De acordo com o arquiteto responsável pelo projeto, o imóvel será todo adaptado. “Analisamos condições climáticas, espaço, disposição de ambientes e tudo o que for necessário para o tratamento ideal aos autistas. Além disso são analisadas as legislações federais, estaduais e municipais de proteção ao autista”, disse.

Segundo as informações, o CEJ está 85% pronto para o projeto. Eles contam com o espaço físico para a construção; sala adaptada para início dos atendimentos; knowhow e equipe altamente especializada. Eles contam com o apoio de empresas e parceiros para levantar o Prédio do CAJ, a fim de oferecer, além da estrutura adequada às famílias, a sede do melhor tratamento ao TEA do Brasil.

O Prefeito Gustavo informou ainda que um atendimento voltado às crianças autistas já começa a acontecer mesmo antes da construção do Centro de Referência. “Mesmo antes da construção já vamos começar agora a atender 100 crianças, com atendimento de fonoaudiologia, psicopedagogia, pedagogia e fisioterapia. O tratamento ideal e o diagnóstico precoce influenciam diretamente na qualidade de vida do autista e de suas famílias”.

 


Comentários