Secretário de Agricultura e presidente da ANA visitam Holambra

O Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, e o diretor-presidente da Agência Nacional de Águas(ANA), Vicente Andreu, estiveram em Holambra na última sexta-feira, dia 28 de outubro, para verificar o andamento do projeto Nascentes de Holambra, iniciado em 2015. O projeto visa recuperar 170 nascentes e áreas de recarga no município, além da realizar a revegetação de matas ciliares na bacia do ribeirão Borda da Mata e promover ações para conservação de solo, readequação de estradas rurais e saneamento rural. O projeto é piloto e deverá ser posteriormente implantado em todo o Estado.

O encontro teve início na Câmara Municipal de Holambra e contou com a presença do prefeito Fernando Fiori de Godoy, dos vereadores Pedro Weel, Jacinta Heijden, Mauro Sérgio (Serjão) e José Zan (Zé Cabelo), além de produtores e representantes de entidades envolvidas. Executado pela Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo(CODASP), o projeto é resultado da parceria do Governo do Estado com a Prefeitura de Holambra, Agência das Bacias Hidrográficas do Piracicaba, Capivari e Jundiaí (Agência PCJ), ANA, Fundação Banco do Brasil e Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI). O total de investimentos é de aproximadamente R$ 3,8 milhões.

Projeto exemplar

Arnaldo Jardim destacou o caráter exemplar do projeto desenvolvido em Holambra: “Há um programa geral no estado de São Paulo, de plantar árvores, recuperar matas ciliares, reconstituir uma base de preservação, mas aqui nós vamos adiante. A intervenção que se construiu aqui tem a natureza de ser um caso exemplar que queremos passar adiante, multiplicar por todo Estado. O programa vai bem e pode ser referência, o passo agora é sistematizar, terminar de fazer as coisas e fazer uma divulgação”, afirmou o Secretário.

Já Vicente Andreu revelou qual o maior aprendizado provocado pela escassez hídrica que atingiu o país nos últimos anos: “Muitos ainda procuram culpados num processo de crise hídrica. Não é raro que comecem a dizer: cortem a agricultura, cortem a irrigação, tem que fornecer água exclusivamente para as cidades, no campo há desperdício de água. Essa distorção de concepção é um dos grandes aprendizados da crise. Nós não podemos vilanizar a agricultura, ao contrário, temos que procurar formar parcerias para que a gente possa conservar e disponibilizar água para todos”, afirmou.

Oportunidade especial

Andreu acredita que o projeto desenvolvido em Holambra pode modificar a visão que muitos têm da agricultura no momento de escassez: ”Num processo de crise, quando os moradores da cidade conhecerem um projeto como este que estamos fazendo, quando conhecerem a importância do papel do produtor rural em uma situação de crise, vão procurar dizer como vamos sair juntos desse processo. É uma oportunidade especial para que a gente possa transformar essa grande experiência num exemplo para o nosso pais”, finalizou.

Após o encontro na Câmara, Arnaldo Jardim e Vicente Andreu percorreram áreas beneficiadas pelo projeto. Até o momento, a iniciativa possibilitou o plantio de 2.800 mudas nativas no entorno das nascentes, além do terraceamento (técnica de conservação do solo) em uma área de 78 hectares e subsolagem (descompactação do solo) de 45 hectares. Também foram recuperados 35 quilômetros de estradas rurais, evitando a erosão e assoreamento dos rios e facilitando o escoamento da produção agrícola. Ainda estão previstas a instalação de 60 fossas biodigestoras e de 12 mil m² de lonas para a impermeabilização de tanques de captação de águas de chuva, que estão em processo de licitação.

 

  

Comentários