fbpx

Suspeita de morte por dengue é descartada

A Secretaria de Saúde vem esclarecer um caso de grande repercussão no município de Mogi Mirim, inclusive com notícia veiculada em emissora de televisão, em rede regional.

Trata-se do óbito de um jovem homem, R. do P. M., de 32 anos de idade, morador da zona Sul da cidade, no dia 23 de março, deste ano, pelo qual a Secretaria em nome de toda sua equipe lamenta e deixa os sinceros sentimentos aos familiares.
R. do P. M. passou por consulta em nosso município, pela primeira vez, na Santa Casa de Misericórdia, através do convênio, em 22 de março de 2015, às 18h50 e foi a óbito no dia 23 de março às 06h00.

Uma investigação foi feita para saber se a morte havia sido causada por dengue. Amostras de sangue e de tecidos foram recolhidas do homem e encaminhadas ao Instituto Adolfo Lutz em São Paulo, que é o laboratório de referência para esse tipo de caso.

Toda a investigação realizada resultou em NEGATIVO para Dengue. Ou seja, a causa da morte não foi Dengue.

A Secretaria de Saúde manifesta condolências à família de R. do P. M., com o desejo de que Deus conforte o coração de cada um.

Na oportunidade, com muito pesar, informa que a lamentável morte, de uma criança, nesta semana, de 11 anos de idade, também já está sendo investigada, inclusive, amostras já foram encaminhadas ao Instituto Adolfo Lutz em São Paulo.

No entanto, é importante frisar que a mesma apresentou sintomas característicos de diferentes enfermidades, por isso, é preciso aguardar o resultado do exame juntamente com outros laudos da investigação. Outro ponto que chamou a atenção, que também ocorreu no quadro clínico do paciente R. do P. M., e que não é característico da Dengue foi a rápida evolução levando à morte.

Que Deus possa enviar muita força e coragem, neste momento tão triste, aos familiares desta criança.

DADOS EPIDEMIOLÓGICOS NO MUNICÍPIO
Atualmente temos registrados 6.004 casos confirmados de dengue. No entanto, apresentamos uma queda notória, por exemplo, no número de atendimentos.

Na última semana, iniciamos com uma média de 300 atendimentos na Santa Casa (Uana), isso de forma geral, não só dengue (todos os atendimentos). Esse atendimento foi apresentando queda, desde quarta-feira chegando a uma média de 200 no final da semana. No Pronto Atendimento, da zona Leste não foi diferente, iniciou a semana com uma média de 40 atendimentos, reduzindo diariamente fechando a semana com uma média de 20.

Importante ressaltar que esses atendimentos relacionados à dengue, não se tratam, necessariamente, de novos casos. A maioria é paciente que já passou por atendimento e retorna para saber resultado de exames ou fazer novo exame, ou ainda tomar soro. Em alguns casos pacientes retornam duas vezes no dia, contabilizando dois atendimentos, porém, ao mesmo paciente.

  

Comentários