fbpx

UniFAJ apresenta o Concerto “A Praça é Nosso Palco” em Jaguariúna

O Centro Universitário de Jaguariúna – UniFAJ, por meio do Programa Sociocultural – TOM, que busca promover arte e cultura gratuitamente para a população, leva para o município de Jaguariúna o Concerto “A Praça é Nosso Palco”. O evento acontece no dia 26 de agosto, a partir das 10h30, na Praça Umbelina Bueno – Centro.

O Concerto “A Praça é Nosso Palco” apresentará o talentoso pianista Pedro Sperandio e convidados, além do lançamento oficial da nova marca da UniFAJ. O jovem músico vem conquistando seu merecido lugar de destaque em meio à nova geração de pianistas brasileiros. Dotado de uma marcante personalidade artística, enorme criatividade interpretativa e solidez técnica, o jovem músico também traz consigo uma vasta bagagem cultural, adquirida através de seus estudos e inúmeras apresentações em ambientes musicais distintos, incluindo Alemanha, França, Itália, Espanha, Canadá, EUA e Brasil.

O jovem, bacharel em música pela Universidade de São Paulo (USP), começou a estudar música aos seis anos de idade e recebeu seu primeiro diploma de músico no Conservatório Carlos Gomes. Estudou na École Normale Supérieure de Musique de Paris (França), uma das escolas mais conceituadas da Europa, além do mestrado em musicologia no Departamento de Música e Musicologia na Université de la Sorbonne.

Pedro trará um vasto repertório inspirado em grandes sucessos do compositor brasileiro e maior expoente da música do modernismo no Brasil, Heitor Villa Lobos. Para enaltecer e abrilhantar ainda mais o espetáculo, o jovem pianista contará com a presença de grandes convidados, como a Violoncelista Lara Ziggiatti Monteiro e o Violinista, Silas Simões.

Memórias

Os trilhos não contiveram o trem. Depois de vencer a Serra do Mar, cruzar estações povoadas de encontros e despedidas, atravessar fazendas levando o café e trazendo as novidades, o trem descarrilhou. A arte moderna, o desviou dos trilhos para a música, a pintura, a poesia.

A música Trenzinho Caipira de Villa Lobos, a pintura Estrada de Ferro Central do Brasil de Tarsila do Amaral, a poesia Trem de Ferro de Manuel Bandeira ainda evocam sua presença aonde ele não está mais presente.

Apenas nos domínios da memória, figura a antiga Estação Jaguari. Demolida há muitas décadas, esta estação se conectava diretamente à Matriz Centenária de Jaguariúna pela rua Cel. Amâncio Bueno, formando um eixo monumental. As notas tocadas pelo pianista Pedro Sperandio e seus convidados ao final do concerto “A Praça é Nosso Palco” reviverão por alguns instantes essa memória.

A UNIFAJ

O Centro Universitário de Jaguariúna – UniFAJ iniciou suas atividades no campus I, localizado na região central do município de Jaguariúna, no ano 2000. Apenas quatro anos depois, devido a grande procura das graduações ofertadas pela então Faculdade de Jaguariúna – FAJ, entra em operação o campus II em uma área de mais de 140 mil m², oferecendo outros novos cursos de ensino superior e proporcionando um maior investimento em tecnologia para os cursos já existentes.

Em 2005, a Instituição dá mais um grande passo: inaugura o maior Hospital-Escola Veterinário da América Latina, que hoje realiza mais de 40.000 atendimentos ao ano e é referência no atendimento de animais de pequeno e grande porte, 24 horas por dia.

Já em 2006, ampliando seu catálogo, a ainda FAJ, inicia a oferta de cursos de Pós-Graduação lato sensu em várias áreas do conhecimento.

E agora, ao completar 18 anos de existência, com 5 unidades instaladas em Jaguariúna e mais de 6.000 alunos, a FAJ, conquista mais um grande reconhecimento: sua elevação para Centro Universitário de Jaguariúna – UniFAJ!

Esse novo passo é reflexo de todo o empenho que a Instituição deposita diariamente na constante e incansável evolução e que faz dela referência em todo o Brasil.

Em menos de duas décadas de funcionamento, a UniFAJ conquistou notas máximas em todos os seus cursos, seja no MEC ou ENADE, mantendo a cada dia sua visibilidade, respeito e, principalmente, garantindo aos seus alunos a plena formação e sua altíssima empregabilidade, sempre com foco na prática, na internacionalização e na responsabilidade sociocultural, ambiental e civil.

Matéria: ASCOM

  

Comentários