Engenheiro Coelho volta a ter saldo positivo na geração de empregos formais

A cidade de Engenheiro Coelho fechou os sete primeiros meses deste ano com saldo positivo na geração de empregos formais. O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) registrou um saldo de seis postos de emprego formal no mês de julho. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Economia.

 

De acordo com dados do Caged, a Região Metropolitana de Campinas (RMC) contratou mais do que demitiu em julho, em comparação aos últimos quatro meses, período com perda de postos de trabalho com carteira assinada.

 

O saldo positivo de 871 vagas, entretanto, é 69,7% menor que o registrado no mesmo período do ano passado (2.824).

 

A pandemia causada pelo novo coronavírus ocasionou demissões em massa entre março e junho. Embora a RMC apresente essa recuperação, a região já acumula perda de 33,3 mil postos de trabalho em 2020.

 

Dos 20 municípios que formam a RMC, 13 apresentaram saldo positivo em julho. Engenheiro Coelho está entre estas cidades com seis postos com carteira assinada criados. Paulínia (714), Sumaré (347) e Hortolândia (210) tiveram os melhores resultados.

 

Se comparado com o mesmo período no ano de 2019, nota-se uma mudança razoável neste quadro, visto que Engenheiro Coelho registrou o número negativo de menos oito vagas em contrapartida a variação positiva de seis postos de emprego formal entre janeiro e julho deste ano.

 

Campinas corresponde por 50% das vagas perdidas entre janeiro e julho deste na RMC. A cidade segue em vermelho e finaliza o mês com o fechamento de 994 postos de emprego formal, um saldo de -16.877 neste período.

 

Vale ressaltar que Engenheiro Coelho terminou o ano de 2019 com saldo negativo em empregos formais. Segundo levantamento realizado pelo Caged, o município registrou mais demissões do que admissões, fechando o ano com a perda de 151 vagas de empregos com carteira assinada.

  

Comentários