Entrevista com o candidato a prefeito: Fred Chiavegato

– Por: Alessandra de Souza

Na edição do jornal, deste sábado (31), foi entrevistado o candidato ao cargo de Prefeito de Jaguariúna, Fred Chiavegato, jaguariunense de 53 anos. Fred é Engenheiro Civil, formado pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, no ano de 1991, é corretor de imóveis e empresário. Atualmente é vereador na cidade. Fred possui seis mandatos consecutivos, somando 24 anos de vida pública. Ele também já ocupou o cargo de Presidente da Câmara Municipal, por três mandatos. A política sempre fez parte de sua vida, seu pai Tarcísio Chiavegato, ingressou na política ainda nos anos 1980, e foi eleito prefeito cinco vezes em Jaguariúna. Esse ano, disputa as eleições para o cargo de prefeito, e escolheu como vice o advogado Fábio Pina. Seu partido não faz parte de nenhuma coligação.

 

Jornal: Qual sua história de vida no que se refere a sua atuação social (relacionamento com comunidade em geral) quando e em que nível já esteve ou está dedicando a alguma ação de interesse público?

Fred: A minha história se confunde com a história de Jaguariúna. Sou nascido e criado aqui, filho do ex-prefeito Tarcísio e neto da Dona Zenaide, e ela já desempenhava um papel social maravilhoso, que nós sempre vimos como exemplo. A porta da casa de meus avós, sempre foram abertas e ali se prestava um trabalho social de acolhimento de pessoas menos favorecidas, além de um trabalho religioso muito intenso para nossa comunidade. Os meus valores e o meu compromisso social se formam nessa realidade. E o meu trabalho na política acompanha a trajetória do pai, acompanhando-o por todos esses anos e compartilhando com ele as ações na vida pública. Isso me levou a ser vereador, cargo para o qual fui eleito seis vezes, sendo inclusive Presidente da Câmara. E olha que foram 24 anos sem nenhuma mácula, honrando os votos de confiança das pessoas. Por fim, também tenho um trabalho social pessoal muito forte junto as pessoas e entidades que prestam serviços as povo mais necessitado, mas isso é algo que não precisa ser dito

 

Jornal: Quais as principais propostas da sua campanha eleitoral?

Fred: São muitas, aliás, quem acompanha a propaganda eleitoral vê que nós somos os que mais tem apresentado propostas concretas. Mas, aqui quero destacar o que vamos fazer para a geração de empregos, sem dúvida um dos grandes desafios para Jaguariúna. Nós já vivemos momentos de atração de investimentos e de grandes empresas, mas isso ficou no passado. Nos últimos quatro anos o atual governo não conseguiu bons resultados. Para enfrentar esse desafio, vamos investir em infraestrutura, isso significa acabar com a falta d’água, tratar o esgoto, recapear as ruas e melhorar a integração viária construindo a Nova Rodoviária.

Além disso, melhorar a política de incentivos, principalmente fiscais. E é preciso incentivar os empreendedores e as empresas da cidade. Nesse caso, vamos criar o Centro do Empreendedor para desburocratizar a abertura de empresas, oferecer capacitação em parceria com instituições como o Sebrae e facilitar o acesso ao microcrédito. A prefeitura também vai priorizar as compras de comerciantes e fornecedores locais. Por exemplo, a inovadora iniciativa do Cartão Uniforme, que vai atender às necessidades da criança e fazer o setor de confecções gerar empregos produzindo mais. Outra oportunidade, será colocar Jaguariúna no mapa do turismo de negócios e eventos, construindo o Centro de Convenções.

Nossa localização é privilegiada e esse setor gera muitos empregos e de maneira rápida. Outra iniciativa será a Frente de Trabalho. Vamos contratar quem está desempregado para realizar serviços de zeladoria nos bairros. Vamos manter os parques, praças e outros espaços públicos impecáveis e ao mesmo tempo gerar renda para as famílias que mais precisam. E ainda vamos investir na qualificação profissional, oferendo cursos gratuitos e direcionados para as necessidades das empresas. A mão de obra qualificada, é uma condição para atrair investimentos.

Jornal: Quais são as principais linhas programáticas do seu partido e seus valores éticos políticos?

Fred: O PSDB contribuiu e continua contribuindo de forma positiva para a democracia brasileira. É um partido que se mantém fiel ao seu programa social democrático e ético.

Jornal: Caso eleito, como pretende contribuir para superar os graves problemas de abastecimento, desemprego e trânsito?

Fred: Como disse, geração de empregos é a marca da nossa candidatura. Sobre trânsito, vamos instalar o sistema de Zona Azul, moderno e digital, que funciona por aplicativo. A rotatividade de estacionamento é essencial para o nosso comércio receber mais consumidores, vender mais e gerar empregos. E claro, vou executar o maior programa de recapeamento da história de Jaguariúna. Não tem cabimento, as ruas ficarem cheias de buracos, além dos transtornos e prejuízos, isso espanta os investimentos.

Jornal: Como considera os servidores públicos, sem os quais não é possível administrar e que relação pretende ter com eles?

Fred: Concordo, os servidores são o maior patrimônio da prefeitura. Hoje, a gente ouve muito falar da insatisfação do funcionalismo com a Avaliação Funcional. Segundo relatam, essa avalição se tornou punitiva e não valorativa. Meu compromisso é realizar Avaliação Funcional justa, isenta e que valorize os bons profissionais. Outra queixa, é em relação ao salário. Com o atual governo, eles não tiveram sequer a reposição inflacionária do período. No meu governo, vamos trabalhar para dar ganho real nos salários e aumentar o valor do vale alimentação.

Jornal: Como se posiciona em relação aos recorrentes escândalos nacionais de corrupção?

Fred: A corrupção não se combate apenas com discurso. É preciso medidas concretas, como a desburocratização da máquina pública e o controle interno. E para combater a corrupção, o prefeito precisa dar o exemplo. Eu tive seis mandatos como vereador, foram 24 anos de vida pública sem nenhuma acusação. Minha história me credencia para esse enfrentamento.

Jornal: De onde vem os recursos da sua campanha?

Fred: Estamos fazendo com recursos próprios, tanto meu, quanto do meu vice Fábio Pina. Apostamos em uma campanha modesta, pé no chão, respeitosa, que reflete o nosso jeito de ser. Na verdade sempre fizemos a política do olho no olho, da verdade e do comprometimento. É política dos “3 S”, sola de sapato, saliva e suor.

Jornal: Caso seja eleito, como deseja administrar a cidade com a crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus?

Fred: Nosso plano de governo, foi pensado para enfrentar mais que os efeitos da pandemia. Estamos prontos para os efeitos negativos de uma administração que nos últimos quatro anos não conseguiu atrair investimentos, empresas ou fomentar os negócios na cidade. Basta comparar com os governos do ex-prefeito Tarcísio, quando a cidade viveu um crescimento surpreendente na economia e na qualidade de vida, para ver o quanto o atual governo, deixou a desejar.

Jornal: Como foi feita a escolha de pré-candidato a Prefeito e Vice Prefeito por parte do partido/coligação? A escolha foi consensual?

Fred: A escolha foi mais que consensual, ela foi providencial. O Fábio Pina, é um homem sério, preparado, com uma história de integridade e três mandatos como vereador. E é importante, esclarecer que eu e ele decidimos ir para o mesmo partido e nos lançarmos de modo independente. A gente não quer a velha política, a gente quer mudar de verdade, com autonomia para montar um governo técnico e competente, sem conchavos políticos.

Jornal: Se confirmada sua eleição, quais serão as propostas concretas para as políticas públicas mais importantes na cidade, os recursos e as maneiras de implementá-las?

Fred: Existe uma regra básica. Não se pode gastar mais do que se arrecada. Meu compromisso é cortar gastos, para equilibrar o orçamento e fazer sobrar dinheiro para investir. Sem recursos para investimento em obras e projetos, a cidade não se desenvolve. Ficar vivendo de empréstimos como estamos hoje, é o caminho para a falência. Administrando bem, o orçamento será suficiente, para fazermos Jaguariúna ser muito melhor.

  

Comentários