Instituto Samaritano e CREAS comemoram sucesso da proposta de atendimento

A parceria entre a Secretaria de Promoção Social, o CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) e ISPS (Instituto Samaritano de Proteção Social) para atendimento das pessoas em situação de rua já resulta em 21,6% de sucesso de sua proposta: a reinserção do indivíduo na família e resgate dos laços familiares através do retorno para casa e/ou conquista de uma residência física.

Reativado em 17 de junho de 2016, o Instituto Samaritano é mantido através do trabalho de mais de 70 voluntários, dentre eles membros da Igreja Presbiteriana, da Instituição Assistencial Cristã César Bianchi, da Igreja Católica através da Matriz de Santo Antônio, da Igreja Adventista, do COGIC e do Lar Espírita Inácio Ferreira. “A atuação dos voluntários é de extrema importância para manutenção do trabalho e também para alcançar esse resultado tão positivo”, declarou o secretário de Promoção Social, Tiago Fontolan.

Atualmente sediado à Rua Campos Sales, 74, no Centro, o Samaritano oferece serviço de pernoite (das 19h00 às 7h00) com capacidade de atendimento regular de dez pessoas cadastradas e acompanhadas pelo CREAS e mais dois leitos de emergência, todos ativos no momento. Durante esse período, o CREAS realizou 60 encaminhamentos para o instituto. Destes, 13 voltaram para a família ou estão com residência física e 12 estão sendo acolhidos no Instituto. Outros seis estão em tratamento. “Esses números mostram que a proposta do trabalho está sendo alcançada. Vale ressaltar que todas as ações são realizadas apenas com o consentimento dessas pessoas em situação de rua. Em alguns casos, eles podem recusar a oferta”, explicou o secretário de Promoção Social, Tiago Fontolan.

Dentre as regras do ISPS estão a atenção com o horário máximo para entrada (até às 20h00) e saída (até às 7h00), proibição de deixar o local durante a noite, exigência de higiene pessoal, proibição de entrada com álcool, drogas, materiais cortantes e armas de qualquer tipo, colaboração com a limpeza e organização do espaço e manutenção da ordem. Também são observados mau comportamento e faltas. Correm risco de perder a vaga aqueles que ultrapassarem o número de faltas permitido (duas) ou de advertências.

Matéria: ASCOM

  

Comentários