Professor e historiador Elder Hosokawa conta um pouco sobre a história de Engenheiro Coelho e destaca a importância da Unasp

Fonte Retratos de Engenheiro Coelho

 

Região do Unasp Vista aérea década 80 – Fonte Retratos de Engenheiro Coelho

Os primeiros funcionários do Unasp na década de 80 – Fonte Retratos de Engenheiro Coelho

Professor: Elder Hosokawa – Professor e Historiador – Foto: Màrcio Rodrigues

O historiador relata a Universidade é responsável por levar o nome do município para além de São Paulo

 Engenheiro Coelho Completa 31 anos de emancipação, e quem está na Cidade – desde o seu surgimento como município – percebe que muita coisa mudou ao longo desses 31 ano de “nascimento”. O que acontece é que, muitas das vezes, nós não percebemos a evolução porque estamos implicitamente inseridos e demasiadamente ocupados para percebemos o quão rápido as coisas mudam em nossa volta. Aí, acabamos por notar quão grande crescimento.

Pense numa criança que, ao tempo em que você permaneceu convivendo com ela, você nunca se atentou que – a cada nascer do dia – ela crescia um pouco mais. Só que por estar tão acostumado com ela, teoricamente você não tinha percepção deste crescimento.

Então, um dia você se afasta desta criança, passa alguns anos sem vê-la. Mas ao reencontrá-la em um belo dia, naturalmente ecoa de seus lábios a seguinte expressão: Ual! Como você cresceu….

É assim, que normalmente acontece com os lugares, cidades e municípios. Nós não notamos, mas crescem gradualmente um dia por vez.

O professor e historiador do Centro Universitário Adventista de São Paulo, Unasp – Engenheiro Coelho, Elder Hosokawa, afirma que há muitas curiosidades interessantes sobre o jovem município de Engenheiro Coelho, que merecem ser contadas.

De acordo com o historiador, que atualmente leciona no Campus Engenheiro Coelho, para os cursos presenciais e EAD, há muitas informações – inclusive sobre o surgimento do município – que merecem mais notoriedade.

Mexendo em seus arquivos de pesquisas, Hosokawa, mencionou uma importante curiosidade sobre a origem do nome da Cidade.

O Nome

Segundo Elder, o engenheiro civil Constante Affonso Coelho, devido aos serviços prestados ao Estado de São Paulo e ao sistema ferroviário da Mogiana e Sorocabana, é o grande homenageado com o nome do Município.

Após falecer, aos 62 anos, na Capital Paulista (07 de fevereiro de 1912), a estação de trem da atual cidade de Conchal, aberta ao tráfego em 2 de julho de 1912, recebeu seu nome: Engenheiro Coelho.

No entanto, 11 Anos depois, ou seja, em 1º de setembro de 1923 a designação Engenheiro Coelho foi transferida de Conchal para a estação Guaiquica e, 69 anos depois, no dia 19 de maio de 1992, a homenagem se tornaria oficialmente o nome do município de Engenheiro que, em plebiscito no ano anterior, emancipou-se de Artur Nogueira.

Um distrito de Artur

 O professor lembra que, em 1983, Engenheiro Coelho era só mais um distrito de Artur Nogueira. Na ocasião, o distrito contava com um pouco mais de cinco mil habitantes. Hosokawa aponta que, um dos grandes fatores que alavancaram o crescimento da Região, atribui-se muito a chegada do Unasp, “em 1983 a população de Engenheiro Coelho era estimada em quatro, cinco mil habitantes, aproximadamente. Já, hoje, ultrapassa os 20 mil, então é coerente afirmar que esse crescimento se atribui a chegada da instituição no local”.

 

A Importância da Unasp

 O historiador relata que a questão cultural trazida pelo Centro Universitário também é um dos responsáveis não só pelo crescimento, mas também um grande propagador do nome de Engenheiro Coelho para todo Brasil, “a área cultural sempre foi muito forte, há no Unasp mais de dez conjuntos musicais, corais etc., e esses grupos viajam para todo o Brasil, mas sempre se reportam as suas origens a matriz, nesse caso, Unasp Engenheiro Coelho”, explica o professor.

Além disso, uma outra importante contribuição da Unasp para o município, segundo Hosokawa, refere-se ao setor econômico. Além de trazer um corpo de profissionais altamente capacitados para região, famílias e estudantes, muitos outros migrantes vieram morar na localidade para desfrutar de um pouco mais de qualidade de vida. “Temos que pensar que praticamente um quinto da população de Engenheiro Coelho, está relacionada ao internato e os alunos externo da Universidade, ou seja, temos aproximadamente de quatro à cinco mil alunos que vem de todas regiões e se instalam aqui, além de famílias, obreiros e aposentados que buscam Engenheiro Coelho como forma de qualidade de vida, e isso se remete a questões de arrecadação tributária que beneficia o município, a presença adventista é muito significante”.

A importância do Unasp para Engenheiro Coelho se torna ainda mais evidente, principalmente, quando se fala na extensão territorial, segundo o professor, a propriedade corresponde a quase um décimo do município, “Unasp, já era uma importante fazenda antes de 1983, era uma grande fazenda produtora de laranja do estado de São Paulo. Vale a pena mencionar que nos anos de 1983 e 1984, logo após a compra do território pela igreja, houve uma grande geada nos estados unidos, e isso fez com que laranja produzida aqui no Brasil tivesse um aumento substancial, o que fez que a própria produção da fazenda pagasse pelo investimento. Resumindo, num quadro geral, a Instituição tem uma significativa importância para a economia de Engenheiro Coelho”, esclarece.

O que o Futuro Reserva?

Falando sobre o futuro do município, o professor é otimista. Mediante ao longo dos anos e das mudanças que já presenciou, por  municípios do território nacional  que já passou, pesquisou e viu progresso surgir, com experiencia e cautela, considera que Engenheiro Coelho está no caminho do crescimento. Prevê, que se houver consenso entre poder público, instituições educacionais e comunidade, o município poderá atingir um grau de crescimento muito elevado, no entanto, ressalta que, deve-se manter a coerência – principalmente na preservação do verde. “Acredito que deva já existir uma discussão no plano diretor para implementação de crescimento, se houver um empenho regulamentação para a instalação de empresas que sejam parceiras e tenham projeto de qualidade de vida, que preservem o verde, o município tem tudo para ganhar. Mas se a gente não tiver um plano e parcerias com as instituições educacionais, comunidade e poder público, podemos ter dificuldades para controlar as questões de aspectos relacionados a saúde e meio ambiente”, explica.

“O Crescimento é Veloz”

Atualmente Centro Universitário Adventista de São Paulo – Campus Engenheiro Coelho – Unaspec, está sob sua dinâmica e visionária liderança do Drº Martin Kuhn. Kuhn é agora a grande mente pensante, instruída por Deus, para continuar mantendo esse importante legado rumo a estrada do crescimento.

Já que para o historiador Elder Hosokawa, “o crescimento é veloz”. “Quando eu cheguei em engenheiro Coelho tínhamos entorno de 10, 12 mil habitantes, hoje o município tem um pouco mais 20 mil, o Unasp ano que vem completará 40 anos, o município está fazendo 31, essa é uma parceria importante. É importante ressaltar que, logo teremos em nosso Campus o nosso museu de arqueologia, será uma referência internacional, esse um trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Drº Rodrigo Silva.  Breve teremos mais uma atração para o município que solidificará ainda mais a presença do Unasp na Região”, finaliza.

Reportagem: Márcio Nato Rodrigues

 

 

  

Comentários